Ferrari 250 GTO, de 1962 arrematada por R$ 255 milhões estabelece novo recorde em leilão de Nova York

Modelo icônico da Ferrari se torna o segundo clássico mais caro em leilões, superado apenas por Mercedes-Benz vendido em 2022

Por Plox

14/11/2023 16h33 - Atualizado há 5 meses

Uma Ferrari 250 GTO de 1962 foi leiloada por um valor impressionante de US$ 51,7 milhões (aproximadamente R$ 255 milhões), tornando-se o segundo carro clássico mais caro já vendido em leilão. A venda ocorreu na noite de segunda-feira (13) em Nova York, sob a batuta da renomada casa de leilões Sotheby's. Este exemplar, mantido por um colecionador americano durante 38 anos, superou o preço de outro 250 GTO vendido em 2018 por US$ 48 milhões (cerca de R$ 236 milhões).

 

Foto: Jeremy Cliff / Sotheby's / Divulgação CP

Histórico e Prestígio
Este Ferrari 250 GTO, com chassi número 3765, possui um histórico de competição notável. Ele alcançou o segundo lugar na corrida de 1.000 km em Nürburgring e competiu nas 24 Horas de Le Mans, onde a equipe se retirou devido a danos no motor. Após competições na Itália, foi exportado para os Estados Unidos no final dos anos 60, passando por várias modificações e restaurações até ser adquirido por um colecionador de Ohio em 1985.

 

Mercado de Arte e Leilões
As casas de leilões Sotheby's e Christie's encerram a temporada de outono com vendas milionárias de obras de arte, impulsionadas principalmente pela China e Ásia. A Sotheby's, pertencente ao bilionário Patrick Drahi, e a Christie's, da holding de François Pinault, registraram significativas arrecadações. Destacam-se as vendas do quadro "Le bassin aux nymphéas" de Monet por US$ 74 milhões (R$ 362 milhões) e "A mulher com relógio" de Picasso por US$ 139 milhões (R$ 680 milhões), mostrando a robustez do mercado de arte de luxo mesmo em um contexto global desafiador

 

Destaques