publicidade



Fim do horário de verão é aceno de Bolsonaro à bancada evangélica

15/04/2019

Depois de 54 decretos que tentaram regularizar a medida desde 1931, o horário diferenciado chega ao fim por gerar “transtornos” à população

publicidade

Queridinho por uns e detestado por outros, o horário de verão chegará ao fim ainda este ano. O projeto que encerra o horário diferenciado foi apresentado no fim de março pelo deputado federal João Campos (PRB-GO) ao presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que aceitou a proposta do parlamentar. Desde então, com o enfraquecimento do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), Campos vem sendo cotado como possível substituto.




Prefeito destaca parceria com a iniciativa privada para realizar festa de aniversário de Timóteo

23/04/2019

Encontro de Bandas será realizado por meio de Lei de Incentivo à Cultura com apoio da Pedreira Um Valemix

publicidade

 


Na web, candidato ao Mister Brasil sofre ataques racistas e homofóbicos

23/04/2019

Candidato ao Mister Brasil e casado com o prefeito de Lins (SP), Max Souza, de 24 anos, tem sofrido ataques nas redes sociais.

publicidade

Candidato ao Mister Brasil e casado com o prefeito de Lins (SP), Max Souza, de 24 anos, tem sofrido ataques nas redes sociais.

O paulista precisou lidar com ataques na internet e desabafou: “Tive muitos comentários positivos, me parabenizando com a vitória e sou grato por isso. Mas, infelizmente, um deles foi muito ofensivo, um comentário cheio de ódio, cheio de preconceito apenas por causa da minha cor”.

Foto reprodução
O casal Wagner e Max. Foto: reprodução


“Deveria voltar para a senzala” e “viadinho” foram alguns dos ataques que o candidato sofreu. Decidindo, assim, processar um dos internautas. “Isso é inadmissível, mas, como fala meu companheiro, melhor guardar apenas o que de bom falam”, disse.

Max  SouzaFoto: divulgação


Morre um dos jovens atacados pelo ex-padrasto que incendiou casa

23/04/2019

A mãe e os dois filhos foram rendidos em casa pelo assassino armado, que começou a atirar e depois incendiou o imóvel.

publicidade

(foto: Facebook/Reprodução)Paulo Henrique Seabra Anísio, de 24 anos, foi uma das vítimas de Tchaikovsky Mourão- Foto: Facebook/Reprodução

Tragédia

O crime aconteceu depois que a mãe, Élida Seabra, e os filhos, Paulo Henrique, e João Pedro Seabra Anísio, de 26 anos, retornaram de uma viagem na Semana Santa. Os três foram rendidos em casa pelo assassino armado, que começou a atirar e depois incendiou o imóvel.

Mesmo com os disparos, as três vítimas conseguiram sair da casa e pedir ajuda. Vizinhos ligaram para a Polícia Militar e uma guarnição que estava em região próxima, chegou rapidamente ao local. Eles iniciaram o socorro do lado de fora da casa e ao ouvirem mais um disparo, acionaram o Batalhão de Operações Especiais (Bope) para dar apoio. Foram encontradas diversas armas de Tchaikovsky na residência.

O crime aconteceu motivado pelo processo de separação que Élida deu início em torno de um mês. Tchaikovsky não teria aceitado o fim da relação.

Atualizada às 17h

últimas notícias