Comissão debate soluções para problemas do estacionamento rotativo em Timóteo

15/05/2019 07:43

O Instituto responsável pelo Faixa Azul foi convidado, mas não compareceu à reunião 

Publicidade

Na segunda-feira (13), a Câmara Municipal de Timóteo realizou uma reunião da Comissão constituída no dia 09 de maio, durante audiência pública realizada para debater sobre os problemas apresentados pelo sistema rotativo de estacionamento no município de Timóteo, o Faixa Azul. O encontro foi realizado no Plenário da Casa Legislativa. 

Na audiência pública, os usuários do Faixa Azul apresentaram diversas críticas, dentre elas, o valor da cobrança, a validade legal do sistema, a multa cobrada aos usuários que estacionam e não pagam o rotativo e também foram suscitadas duvidas sobre a aplicação dos recursos por parte do Instituto Maçônico de Projetos Sociais – IMAG, administrador do Faixa Azul.

Comissão Faixa Azul (Foto: divulgação)Comissão Faixa Azul (Foto: divulgação)

Na Comissão, o vereador Adriano Alvarenga apresentou uma série de propostas para avaliação e várias foram endossadas pelos membros e encaminhadas aos órgãos competentes para solução. Por parte do Executivo, foi deliberado uma licitação, no período mais breve, para regularizar a concessão do serviço e uma reunião com os gestores do sistema para reduzir o valor da cobrança, o Executivo se reúne com o Instituto já na próxima quinta-feira (23) para encaminhar as demandas deliberadas pela Comissão. Por parte da ACE-CDL, foi deliberada uma reunião com os lojistas que estão na área de abrangência do rotativo, para discutir o aperfeiçoamento da cobrança, visando aumentar a presença de consumidores no comércio local. Também foi encomendado à Procuradoria da Câmara e da Prefeitura um estudo técnico sobre a legalidade da cobrança de multas para quem estaciona sem o pagamento do rotativo. 

Populares também participaram do encontro. O usuário do estacionamento rotativo, Vinicius Santos, afirmou que falta informação e conscientização da população, por parte do IMAG, sobre a forma como funciona o sistema rotativo. Já o comerciante Felipe Martins relatou que sua esposa, em dois dias, recebeu R$27,00 somente de multas por não ter pago o estacionamento. “Não sou contra o sistema rotativo de estacionamento, mas da forma como está sendo feito em Timóteo é complicado. Está servindo apenas para esvaziar o centro comercial, dispersando os consumidores para cidades vizinhas”, frisou o comerciante. 

Estiveram presentes os vereadores Diogo Siqueira e Adriano Alvarenga, o presidente da ACE/CDL, Heine Stuart, o procurador-geral do município de Timóteo, Humberto Abreu, o Corregedor-Geral do município, Tiago Castro, Rogério Mora de Oliveira, representando o Grupo Apoio de Desenvolvimento de Timóteo, e Wanderson D. S. Garcia, do Departamento de Trânsito da Secretaria de Obras de Timóteo. O Instituto Maçônico de Projetos Sociais – IMAG, administrador do Faixa Azul, não esteve presente no encontro.
 



Publicidade