Funcionários ficam feridos em explosão na CSN em Volta Redonda

15/05/2019 10:41

O acidente desta manhã já é o terceiro somente neste ano

Publicidade

Vários funcionários da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) ficaram feridos depois de uma explosão em uma área da companhia, nesta manhã de quarta-feira, 15 de maio. O acidente aconteceu na unidade de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, quando trabalhadores retiravam material (escória) do setor de aciaria, que é o local onde o ferro é convertido em aço.

Nesse momento, ocorreu o vazamento do material, que gerou um estrondo, causando susto na vizinhança. Funcionários inalaram bastante fumaça e foram encaminhados para um hospital da região, de acordo com a CSN. A empresa não informou quantos funcionários foram afetados, mas a empresa disse que está prestando "toda a assistência aos colaboradores e investigando as causas da ocorrência".

Uma moradora da região usou as redes sociais para contar o que ouviu e aproveitou para pedir orações para os possíveis atingidos. "Fui acordada agora pouco com um susto muito grande de um barulho muito intenso como o de uma explosão vindo da CSN. Logo me deparei com essa fumaça escura e densa e, logo em seguida, dava para ouvir sons como de carros de bombeiro e de socorro. Algo aconteceu, talvez na Cearia (tomara que não). Vamos orar pelas vidas que se encontram lá dentro nesse momento".

CSN- Foto: Reprodução/Internet

CSN- Foto: Reprodução/Internet

Terceiro acidente em 2019

O acidente desta manhã de quarta-feira já é o terceiro somente neste ano. Em março, houve um incêndio também na área de aciaria. Na ocasião, funcionários tiveram ferimentos leves. Menos de um mês depois, em abril, o mesmo local sofreu um incêndio devido a uma falha em altos-fornos, desta vez, sem vítimas. Naquela ocasião, o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos local, José Elias, questionou os dois acidentes e previu mais ocorrências na companhia: “Na prevenção de acidentes, a gente fala o seguinte: quando começam a ocorrer fatos dessa natureza, é sinal de que algo pior está por vir. Isso não é normal. A siderúrgica tem que tomar as providências para saber o que está acontecendo”, cobrou o sindicalista.

Atualizada às 12h12



Publicidade