Professora conhecida por superação e pós-doutorado em Harvard tem diploma falso

15/05/2019 15:06

Em suas palestras e entrevistas, a professora sempre destacou o fato de ter nascido de uma família muito simples e começado a faculdade quando tinha apenas 14 anos

Publicidade

Notada pela história de luta e vitória, a professora Joana D'Arc Félix de Sousa, 55 anos, ganhou notoriedade por conseguir chegar ao pós-doutorado na prestigiada universidade norte-americana Harvard. Porém, a mulher agora foi questionada e não teria formação pela instituição, além de supostamente usar diploma falso para se respaldar, segundo informação divulgada nessa terça-feira, 15 de maio, em reportagem feita pelo Estadão.

Joana Darc- Foto: Senai

Joana D'arc Félix tem 55 anos e fez palestras e ganhou prêmios por superação- Foto: Senai/Reprodução

Em suas palestras e entrevistas, a professora sempre destacou o fato de ter nascido de uma família muito simples e ter começado a faculdade quando tinha apenas 14 anos, o que foi desmentido por ela depois. Ela ainda dizia que morava em Cambridge e foi bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (Capes), do Mec, só voltando ao Brasil devido à morte do pai. Entrevistada de novo pelo jornal recentemente, a professora declarou que não fez o pós-doutorado na instituição norte-americana e que não morou em Cambridge.

Representantes da Harvard, confirmaram ao jornal a informação de que o diploma da brasileira era falso. Joana argumentou que o documento foi feito para uma peça teatral. "Mas eu não concluí (o pós-doutorado), eu não tenho certificado”, disse a professora, alegando também que não residiu em Cambridge e não se recorda se foi ou não bolsista da Capes. Apesar das incoerências, Joana realmente é graduada, tem mestrado e possui doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mas suas palestras e premiações sempre focaram em sua história pessoal de superação.

Posicionamento

A professora se posicionou nesta quarta-feira, 15, sobre o caso, garantiu que já acionou sua defesa e alegou racismo, diante da repercussão do fato. "Tudo o que foi publicado já está sendo apurado por um advogado ligado ao movimento negro brasileiro, porque tenho certeza que ainda estão achando que os negros (as) ainda têm que viver na senzala. Não tenho o pós-doutorado concluído, e por isso, não tenho o diploma de pós-doutorado, e muito menos, diploma falso”, manifestou. À Folha de São Paulo, Joana disse que considerou a inserção da pesquisa em seu currículo Lattes e entrevistas uma falha, e se desculpou, alegando ter falado além da conta. "A gente se empolga e acaba falando demais. É uma falha, peço desculpas, é uma falha", explicou.

 Filme

Joana teria sua vida contada através de um filme sendo representada pela atriz Taís Araújo, com produção da Globo Filmes, que confirmou a informação em abril. A artista havia feito um post em sua rede social elogiando a professora e dizendo que se encontrou com ela, porém, apagou a publicação depois da repercussão. “Reuniãozinha de trabalho. Falamos muito sobre química, fórmulas, patentes e coisas que eu não entendo, mas fingia que sabia de tudo, só para dizer que sou amiga de uma pessoa que fez pós-doutorado em Harvard”, escreveu.

Taís e Joana

 Atualizada às 23h15

 

 

 



Publicidade