EUA investem em nova geração de aviões para comando em cenários de guerra nuclear

Sierra Nevada adquire jatos para renovar frota de comando estratégico, garantindo operacionalidade em situações extremas.

Por Plox

15/05/2024 12h44 - Atualizado há 28 dias

A Sierra Nevada Corporation finalizou a compra de cinco jatos Boeing 747 da Korean Air, sinalizando uma atualização significativa para a frota de comando e controle estratégico da Força Aérea dos Estados Unidos. Esses novos jatos, parte de um investimento de 13 bilhões de dólares, destinam-se a substituir os atuais E-4B "Nightwatch", apelidados de "Aviões do Fim do Mundo", e são essenciais para manter a capacidade de liderança e comando dos EUA em cenários de emergência, como um conflito nuclear.

Wikimedia Comms

Capacidades avançadas As aeronaves adquiridas são projetadas para operar como centros móveis de comando e controle, capazes de manter suas funções mesmo se as bases terrestres forem destruídas. Notavelmente, estes aviões podem permanecer no ar por dias sem necessidade de aterrissagem ou reabastecimento, uma capacidade crítica em cenários de guerra nuclear. Além disso, são construídos para suportar pulsos eletromagnéticos resultantes de explosões nucleares, protegendo os equipamentos e passageiros a bordo, que incluem o presidente dos EUA e outras autoridades chave.

Prontidão constante A Força de Defesa dos EUA mantém essas aeronaves em constante estado de alerta, com pelo menos uma delas pronta para decolar a qualquer momento, todos os dias. Este nível de prontidão sublinha a importância estratégica desses aviões para a segurança nacional dos Estados Unidos.

O projeto para desenvolver um novo "Centro de Operações Aerotransportadas Sobreviventes" está programado para ser concluído até 2036, segundo comunicado do Departamento de Defesa dos EUA

Destaques