Irregularidades persistem na cidade administrativa de Minas Gerais

Falta de AVCB coloca em risco milhares de servidores estaduais

Por Plox

15/05/2024 15h56 - Atualizado há cerca de 1 mês

A Cidade Administrativa de Minas Gerais, inaugurada em 2010, tem funcionado sem o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) por quase 14 anos, um documento essencial que certifica as condições de segurança contra incêndios em edificações públicas e privadas. Este documento é crucial para assegurar que as instalações possuam equipamentos adequados de combate a incêndios, como extintores e rotas de fuga eficientes.

Foto: Redes sociais/Reprodução

A administração estadual, que ocupa três edifícios principais – Palácio Tiradentes, Minas e Gerais –, enfrentou recentemente problemas adicionais com elevadores, forçando cerca de sete mil servidores a migrarem para o trabalho remoto, mantendo apenas atividades presenciais no Palácio Tiradentes.

 

Atrasos na regularização Apesar das garantias de segurança oferecidas pelo governo, o processo de regularização do AVCB ainda consta como "em andamento" no Sistema de Informações do Serviço de Segurança Contra Incêndio e Pânico (Infoscip), criado em 2012. O Estado afirma que todos os prédios estão equipados com sistemas modernos de prevenção e que esforços estão sendo feitos para cumprir as normas técnicas exigidas.

 

Medidas e garantias de segurança Segundo o governo do Estado, os espaços são continuamente adaptados para melhor desempenho funcional, exigindo revisões frequentes dos sistemas de segurança conforme as mudanças físicas e de ocupação ocorrem. A infraestrutura inclui alarmes, brigadas de incêndio, sistemas de chuveiros automáticos, além de revisões periódicas, que garantem a funcionalidade dos dispositivos de segurança e a proteção dos ocupantes contra incêndios.

Destaques