Mulheres e a crescente solidão no casamento devido a responsabilidades domésticas

Estudo aponta como obrigações com a casa e os filhos impactam amizades femininas

Por Plox

15/05/2024 08h56 - Atualizado há cerca de 1 mês

Impacto emocional e social das obrigações domésticas As mulheres que assumem a responsabilidade exclusiva pela gestão do lar e pelo cuidado com os filhos muitas vezes enfrentam um isolamento que afeta profundamente suas relações sociais e bem-estar emocional. Este cenário, ainda predominante, foi discutido pela psicóloga Renata Borja, que apontou como essa dinâmica perpetua a solidão muitas vezes vivenciada por mulheres casadas. Segundo Borja, historicamente, a mulher estava confinada ao ambiente doméstico, o que limitava suas interações sociais ao núcleo familiar, enquanto os homens expandiam seus círculos sociais através do trabalho e atividades externas.

Pixabay: Foto ilustrativa

Mudanças culturais e persistência de padrões antigos Apesar das mudanças significativas na inserção da mulher no mercado de trabalho, ainda existe uma expectativa cultural forte para que elas mantenham suas funções tradicionais em casa. Borja observa que, mesmo com maior participação dos homens nos cuidados com a casa e os filhos, as mulheres ainda enfrentam uma carga desproporcional, o que limita seu tempo para lazer e manutenção de amizades fora do contexto familiar. "Ainda que haja mudanças em curso, a pressão sobre as mulheres em relação ao cuidado da casa e com os filhos persiste", comenta a especialista.

Conexões sociais e saúde mental Interessantemente, as mulheres tendem a manter conexões sociais mais consistentes que os homens, que, com o passar dos anos, podem se tornar mais isolados. Borja destaca que muitas mulheres mantêm relações com amigas e familiares, o que contribui para uma rede de apoio robusta. Ela sugere que essas conexões são vitais para a saúde mental e emocional, especialmente quando enfrentam desafios como a "síndrome do ninho vazio" ou a perda do cônjuge.

Destaques