"Minas Gerais registra aumento alarmante de casos de febre maculosa em 2023"

. Os dados suscitam preocupações acentuadas após a morte de três pessoas em Campinas, São Paulo, devido à mesma doença.

Por Plox

15/06/2023 07h54 - Atualizado há 10 meses

elatório recente da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) indicou que houve duas fatalidades de febre maculosa no estado este ano. Até 6 de junho, foram confirmados nove casos de febre maculosa, um aumento de 28% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados suscitam preocupações acentuadas após a morte de três pessoas em Campinas, São Paulo, devido à mesma doença.

Foto: IMAGEM ILUSTRATIVA - Divulgação / Prefeitura de Jundiaí

As vítimas fatais em Minas Gerais, ambas do sexo masculino, tinham 28 e 54 anos e eram residentes de Manhuaçu, na Zona da Mata. O mais recente dos casos foi notificado no início de junho, embora o óbito tenha ocorrido em 26 de abril. O número de casos no primeiro semestre deste ano representou um aumento de 28,5% em relação ao mesmo período em 2022.

O médico infectologista Leandro Curi explica que a febre maculosa é transmitida pela picada do carrapato-estrela, que é portador da bactéria Rickettsia rickettsii. Os sintomas incluem mal-estar, dores corporais intensas, alterações hepáticas e renais, febre, hemorragias e manchas roxas no organismo. Se não tratadas, essas condições podem levar à morte.

Ações de prevenção contra a febre maculosa

Na tentativa de prevenir a doença, as prefeituras de Belo Horizonte e Contagem têm tomado medidas preventivas. Em Belo Horizonte, o controle da população de capivaras, consideradas hospedeiros primários da bactéria, foi iniciado em 2017. Além disso, monitoramento ambiental dos carrapatos é realizado nos meses de abril, agosto e novembro com vigilância acarológica.

Já em Contagem, na região metropolitana, a Secretaria Municipal de Saúde informou que diversas ações têm sido tomadas para prevenir a febre maculosa. Estas incluem mapeamento e monitoramento de áreas de risco, realização de banhos carrapaticidas e exames clínicos em animais, além de capacitações para agentes de combate às endemias, médicos e enfermeiros. Até o momento, Contagem, assim como Belo Horizonte, não registrou casos confirmados da doença.

Destaques