Ministério da saúde atualiza dados da febre maculosa: 53 casos e 8 mortes

A análise geográfica dos casos aponta uma maior concentração nas regiões Sudeste e Sul do país, com 30 e 17 casos confirmados respectivamente.

Por Plox

15/06/2023 07h20 - Atualizado há 10 meses

Atualização sobre a Febre Maculosa no Brasil: 53 Casos e 8 Mortes Confirmadas

A Febre Maculosa é um assunto que tem ganhado destaque nos noticiários brasileiros. O Ministério da Saúde acaba de atualizar os números e agora são 53 os casos confirmados da doença em território nacional. Infelizmente, já temos um total de oito mortes.

Concentração de Casos e Óbitos

A análise geográfica dos casos aponta uma maior concentração nas regiões Sudeste e Sul do país, com 30 e 17 casos confirmados respectivamente. Em relação aos óbitos, a totalidade das vítimas fatais também está concentrada na Região Sudeste -- sendo seis em São Paulo, um em Minas Gerais e um no Rio de Janeiro.

 Foto: Pexels/ Erik Karits (imagem ilustrativa)

Prevenção e Tratamento em Foco

Embora a doença esteja presente no país, é importante relembrar que a transmissão da Febre Maculosa ocorre apenas pelo contato com o carrapato estrela, portador da bactéria do gênero Rickettsia. Assim, a infecção não é transmitida de pessoa para pessoa.

O Ministério da Saúde ressalta a importância do tratamento adequado e rápido para evitar complicações graves e possíveis óbitos. Segundo orientações da pasta, ao surgirem os primeiros sintomas, é crucial que o paciente procure imediatamente uma unidade de saúde para avaliação médica e início do tratamento, que é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Em adendo, a pasta informa que está fornecendo um medicamento antimicrobiano eficaz no tratamento da doença. Todas as unidades federativas, incluindo São Paulo, possuem estoque suficiente do medicamento. Adicionalmente, a pasta mantém um estoque estratégico para o envio de novas remessas aos estados que necessitarem.

A Situação em Campinas

Com relação ao surto de Febre Maculosa em Campinas, interior de São Paulo, o Ministério da Saúde afirmou que está em contato com o governo estadual para acompanhar as ações de vigilância e assistência. A cidade é considerada uma área endêmica e o período sazonal para a doença vai de maio a setembro.

Para prevenir a doença em áreas de risco, o Ministério da Saúde recomenda o uso de roupas que cubram todo o corpo, especialmente calças, blusas ou camisetas de mangas compridas e sapatos fechados. Roupas de cores claras são sugeridas para facilitar a visualização de carrapatos. A pasta ressalta a necessidade de frequentes verificações do corpo para retirada rápida dos carrapatos

Destaques