Santa Casa de Juiz de Fora no foco de investigação sobre desvios na saúde de Minas Gerais

A estimativa inicial, podem chegar à cifra de R$ 8 milhões

Por Plox

15/06/2023 17h42 - Atualizado há 10 meses

Em recente desdobramento da Operação denominada "No Mercy", o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) avançou em investigações sobre suspeitas de desvios na saúde pública do estado. A manhã de quinta-feira (15) foi marcada pela movimentação dos agentes do MP em Juiz de Fora, mais precisamente na Santa Casa da cidade, além de ações realizadas no Rio de Janeiro.

 

Foto: Reprodução

Essa investigação é centrada na apuração de possíveis desvios que, segundo a estimativa inicial, podem chegar à cifra de R$ 8 milhões, extraídos de recursos públicos e privados destinados à saúde.

A Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora, instituição reconhecida por ter prestado atendimento ao ex-presidente Jair Bolsonaro após um atentado sofrido durante sua campanha eleitoral em 2018, está colaborando com as investigações. Conforme consta em nota oficial, a instituição enfatiza o compromisso com a transparência e afirma que seguirá auxiliando no desenrolar das apurações.

Os passos da operação "No Mercy" incluíram também o cumprimento de mandados de busca e apreensão, ações realizadas tanto em Juiz de Fora quanto no Rio de Janeiro. Além disso, ocorreu o afastamento de alguns servidores da unidade de saúde, embora o número exato não tenha sido divulgado pelo MPMG.

O MPMG aponta que as investigações tiveram início a partir de denúncias recebidas pelo órgão. Esses relatos sugeriam a ocorrência de favorecimentos pessoais e desvio de fundos da saúde. Conforme citado pelo MP, as provas apresentadas ao Poder Judiciário indicam que os delitos investigados podem ter desencadeado a drenagem de valores milionários da área de saúde.

Por estar em curso, a investigação se mantém sob sigilo, e outros detalhes a respeito do caso não serão divulgados neste momento. A busca pela verdade, entretanto, continua a todo vapor, com o MPMG empenhado em garantir a correta aplicação dos recursos da saúde em Minas Gerais.

 

Destaques