Morte de menina em Itajubá levanta suspeitas de estupro de vulnerável

A mãe afirmou à polícia que desconhece qualquer ato de violência ou abuso contra sua filha e não suspeita de ninguém

Por Plox

15/07/2023 07h44 - Atualizado há 9 meses

A morte de uma menina de 4 anos, identificada como Emilly Vitoria Fonseca de Oliveira, moradora da Serra dos Toledos, zona rural de Itajubá, Minas Gerais, está sob investigação pela Polícia Civil. A tragédia aconteceu na noite da última quinta-feira (13), quando a família a levou para o hospital, mas a menina infelizmente não resistiu. A causa da morte, no entanto, ainda não foi estabelecida.

 

Foto: PCMG/Divulgação

Relatos da Mãe e Padrasto

A mãe de Emilly relatou à Polícia Militar que, após alimentar suas três filhas, de 4, 6 e 8 anos, foi deitar com o padrasto das meninas. Mais tarde, ela sentiu algo incomum e percebeu que Emilly estava espumando pela boca. Juntamente com o padrasto, ela tentou prestar os primeiros socorros à menina, que desfaleceu. Desesperada, a mãe recorreu à ajuda de uma irmã para levar a menina ao hospital. Ela ainda afirmou à polícia que desconhece qualquer ato de violência ou abuso contra sua filha e não suspeita de ninguém.

O padrasto da menina, que estava em casa com as outras duas filhas durante o incidente, relatou à polícia que notou a falta de resposta da menina ao levantar para ir ao banheiro, iniciando imediatamente uma massagem cardíaca para tentar reanimá-la. Segundo ele, a mãe se juntou a ele em seguida para auxiliar até a chegada do veículo que a levou para o hospital.

O Papel do Conselho Tutelar e Histórico de Agressões

O Conselho Tutelar tem um histórico com a família da menina. De acordo com a organização, já foram feitas duas notificações ao Hospital das Clínicas relatando possíveis agressões a Emilly. Em uma das ocorrências, a criança apresentava uma lesão no olho, alegada pela família como resultado de uma queda de um banco enquanto tentava pegar água na pia. No segundo incidente, a criança sofreu um corte na cabeça, supostamente causado por uma moto que teria caído sobre ela.

Diante desses episódios e da recente fatalidade, o Conselho Tutelar recomendou que as outras duas meninas da família fiquem sob a guarda de uma tia.

Investigação Policial e Resultados Preliminares

A Polícia Civil realizou uma autópsia no corpo da menina no Posto Médico Legal. Os resultados iniciais não identificaram sinais de violência sexual ou física. Material genético também foi coletado para realização de mais exames.

Devido à falta de determinação da causa da morte pelo hospital, a Polícia Civil classifica a situação como uma morte suspeita e, portanto, sob investigação. Até o momento, não foi possível afirmar se a morte resultou de um ato criminoso. O padrasto da menina, em colaboração com a investigação, entregou seu telefone celular à polícia de forma voluntária.

A Polícia Militar informou que todas as investigações estão a cargo da Polícia Civil, que segue investigando as circunstâncias do fato. Até o momento, ninguém foi preso. A Polícia Civil garante que o caso está sendo investigado com total zelo e transparência.

Destaques