Bolsonaro impede volta do Cruzeiro ao Profut

O Cruzeiro tem uma dívida com a União no valor de R$ 303 milhões

Por Plox

15/10/2020 13h16 - Atualizado há 13 dias

Nessa quarta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou a Lei 14.073, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor esportivo a serem adotadas durante o estado de calamidade pública. Porém, o presidente vetou o artigo que permitiria a reabertura do Profut. A decisão impede que o Cruzeiro e outros clubes, pudessem voltar a negociar suas dívidas.

O Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol (Profut), foi criado em 2015. Ele da permissão aos clubes de financiar dívidas com a União a longo prazo.  

O Cruzeiro foi excluído do Profut na semana passada por atrasos em pagamentos dos débitos. Desde 2015, outros clubes também sofreram essa punição pelo mesmo motivo.  

Foto: Reprodução/ Twitter Leo Portela

O presidente  justificou o veto ao artigo  baseado em uma recomendação dos ministérios da Economia e da Cidadania, além da Advocacia-Geral da União.

"Ademais, a despeito de a adesão ao Profut consistir em medida que beneficia as entidades desportivas com redução de passivo fiscal e parcelamento das dívidas, a forma como proposta a reabertura do prazo para nova adesão é inviável vez que, além de não representar o desafogo financeiro esperado, não irá amenizar ou resolver os problemas financeiros e fiscais enfrentados pelas entidades esportivas no cenário excepcional ocasionado pela pandemia, onde se requer soluções mais complexas e efetivas" afirmou Bolsonaro.

O Cruzeiro tem uma dívida de R$ 303 milhões com a União.

 

PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2020