Criança comove PMs ao pedir comida em carta para o Papai Noel

15/11/2019 10:04

Policiais contam que se emocionaram com os pedidos do menino, que também pedia um chinelo para ele e para um irmão autista

Publicidade

Um garoto de 10 anos escreveu uma cartinha com objetivo de que ela chegasse ao papai Noel. 

A mãe dele entregou a correspondência aos cuidados de policiais militares. que estavam em patrulhamento nessa quinta-feira (14). em Peruíbe, no litoral de São Paulo. Ela pediu que eles levassem a carta até os Correios, a pedido do filho. 

Mas os policiais resolveram ler a carta e decidiram que eles mesmos atenderiam ao pedido de Gabriel. "Papai Noel, mande aqui para a minha casa uma cesta de alimentos", pediu o menino na carta ao “Bom Velhinho”.

Foto: Divulgação PMWhatsApp Image 2019-11-15 at 10.06.20
 
"A mãe do menino viu a viatura em patrulhamento e pediu ajuda. Pensamos até que era alguma ocorrência, mas ela pediu que a gente levasse uma carta a uma agência dos Correios na cidade", declarou a um jornal local o soldado Fabiano Santil. 

Foto: Divulgação PMWhatsApp Image 2019-11-15 at 10.06.47
 
A mulher apenas pediu que a carta fosse levada aos correios, mas o policial observou no envelope quem a carta tinha como destinatário. Para sua surpresa, a carta era para o Papai Noel, para a campanha de Natal dos Correios.
 
Os policiais declararam que, mesmo antes de abrir o envelope, decidiram que se juntariam para atender o desejo do garoto. Mas eles não esperavam era que os 'presentes' que o garoto queria não era um brinquedo. "Nós esperávamos ler a carta com um pedido de brinquedo, algum jogo e, quando abrimos, ele pedia comida para a família passar o Natal e dois pares de chinelo, um para ele e outro para o irmão, que tem autismo", detalhou o agente.

Foto: Divulgação PMWhatsApp Image 2019-11-15 at 10.06.54
 
Os policiais contaram que se emocionaram ao ler a correspondência. "Me deu um nó na garganta. Nós temos filhos, e é muito triste ver uma criança pedindo comida para a família", disse.
 
 Imediatamente os agentes compraram os calçados e uma cesta básica e foram levar na casa dos meninos, no mesmo dia.
Eles contaram para as crianças que se depararam com o Papai Noel no centro da cidade e que ele já tinha lido a carta e que atendeu aos pedidos.



Publicidade