"Fies Social" Oferece Bolsas Integrais para Estudantes de Baixa Renda

Programa visa garantir acesso ao ensino superior para alunos com renda familiar de até meio salário mínimo, com reserva de 50% das vagas

Por Plox

16/02/2024 10h36 - Atualizado há cerca de 2 meses

O Ministério da Educação anunciou nesta sexta-feira a implementação do "Fies Social", um novo programa que promete bolsas integrais para estudantes universitários com renda familiar até meio salário mínimo. Esta iniciativa chega como uma luz no fim do túnel para milhões de brasileiros que sonham com o ensino superior, mas veem nas barreiras financeiras um impedimento para tal. Cerca de 63,8 milhões de pessoas viviam com até meio salário mínimo em 2022, segundo a pesquisa Síntese de Indicadores Sociais.

DIVULGAÇÃO/UNB

Critérios e Benefícios do Programa

Para assegurar uma distribuição justa, 50% das vagas dos processos seletivos serão reservadas aos estudantes desse grupo. A seleção das vagas seguirá a proporção da população de baixa renda na unidade federativa da instituição de ensino, com base no último censo do IBGE. As regras começarão a valer a partir do segundo semestre de 2024.

Em caso de vagas não preenchidas, estas serão destinadas primeiramente a estudantes autodeclarados pretos, pardos, indígenas e quilombolas ou a pessoas com deficiência. Em última instância, as vagas remanescentes serão abertas à ampla concorrência.

Valores e Condições

Os valores das bolsas variam de R$ 300 a R$ 42.983,70 mensais, com o teto para cursos de Medicina estendido a R$ 60 mil. A cobertura dessas bolsas visa não apenas as mensalidades mas também despesas adicionais, embora despesas que excedam o valor da bolsa devam ser custeadas pelo estudante. Para participar, é necessário que a instituição de ensino esteja cadastrada e regularizada junto ao MEC.

Perspectivas Futuras

O Ministro da Educação, Camilo Santana, destacou a importância do "Fies Social" como um impulso para reverter o quadro de subutilização das vagas oferecidas pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) tradicional. Segundo ele, das 112 mil vagas ofertadas pelo Fies, menos da metade tem sido ocupada. O "Fies Social" surge como uma estratégia para ampliar o acesso ao ensino superior e, ao mesmo tempo, atender ao desafio de mitigar a inadimplência que hoje afeta 1,2 milhão de estudantes, somando uma dívida de R$ 55,6 bilhões com o governo.

Este anúncio vem em um momento crucial, considerando que o programa "Desenrola Fies", voltado para negociar dívidas de estudantes inadimplentes, registrou apenas 12% de adesão. O "Fies Social", portanto, não apenas oferece uma nova esperança para jovens estudantes que desejam voltar à universidade mas também representa uma oportunidade para limpar o nome e retomar o caminho acadêmico e profissional.

Destaques