Lula pede aos EUA para parar de "incentivar" guerra na Ucrânia durante visita à China

Ele afirmou que o Brasil e a China estão dispostos a trabalhar juntos para encontrar uma solução para a crise na Ucrânia e buscar aliados adicionais.

Por Plox

16/04/2023 15h48 - Atualizado há 12 meses

O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, pediu que os Estados Unidos cessem de "incentivar" a guerra na Ucrânia durante sua viagem à China. Lula defendeu a criação de um grupo de países para mediar a paz entre Rússia e Ucrânia, e mencionou ter discutido a proposta com líderes mundiais, incluindo Emmanuel Macron, Olaf Scholz, Joe Biden e, mais recentemente, o presidente chinês, Xi Jinping.

Lula expressou a necessidade de convencer os países que fornecem armas e apoio ao conflito a pararem. Ele afirmou que o Brasil e a China estão dispostos a trabalhar juntos para encontrar uma solução para a crise na Ucrânia e buscar aliados adicionais.

As declarações de Lula ocorrem em um momento em que o Brasil busca estreitar laços com a China, ao mesmo tempo em que as tensões entre China e EUA aumentam. Durante sua visita, Lula falou sobre a importância da China no equilíbrio geopolítico e a necessidade de mudanças na "governança mundial". Ele também visitou um centro de pesquisa da Huawei, uma empresa de tecnologia chinesa banida nos Estados Unidos por supostas preocupações de segurança nacional.

Ao ser questionado sobre possíveis reações dos EUA em relação aos seus movimentos diplomáticos, Lula negou preocupação, ressaltando que suas conversas são focadas nos interesses soberanos do Brasil.

Lula dando entrevista em saguão de hotel, observado por dois guardas chineses e rodeado por microfones
Destaques