MPMG acessa documento da Vale que indica possibilidade de rompimento de talude até 25 de maio

16/05/2019 15:17

Publicidade

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) recomendou à Vale nesta quinta-feira, 16 de maio, que várias medidas devem ser adotadas para informar à população de Barão de Cocais sobre a real situação da Barragem Sul Superior, na Mina Gongo Soco. E o prazo para que isto ocorra é de até seis horas. 


Ontem, 15, foi detectado que a cava da barragem corre risco de se romper, devido a uma movimentação no local. De acordo com o órgão, se o talude norte continuar se movendo, um rompimento pode ser registrado até o dia 25 de maio. O MPMG teve acesso a um documento da Vale sobre a cava Gongo Soco, que consta uma previsão aproximada no caso de um rompimento, demonstrando que a velocidade e aceleração da movimentação poderá acontecer “no período de 19 a 25 de maio de 2019, gerando vibração que poderá ocasionar a liquefação da Barragem Sul Superior e sua consequente ruptura”, diz o documento. 


A barragem da Vale foi desativada em 2016, mas segue desde o final de março deste ano no nível 3 para alerta de rompimento, porém, o risco foi aumentado depois da movimentação. Conforme o prefeito de Barão de Cocais, Décio Geraldo dos Santos (PV), a Vale admitiu que em outras ocasiões a mesma estrutura já apresentou indícios de instabilidade, mas “o problema é que a gente não sabe qual seria a intensidade desse possível desabamento", declarou. O tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), confirmou a informação de Décio. 


O local é monitorado 24 horas por dia, segundo a Vale. O MPMG informou que as rachaduras nos taludes estão aumentando e que os dados atualizados no monitoramento por radar mostram a possibilidade de desmoronamento no talude norte: “As trincas no talude estão evoluindo e os dados de monitoramento demonstram que a movimentação no talude norte da cava está aumentando. Caso venha acontecer a ruptura no talude norte, não é possível afirmar se a vibração decorrente desta ruptura poderá causar um gatilho para liquefação da Barragem Sul Superior”, esclareceu.

Atualizada às 16h56



Publicidade