Usar palito de dente é perigoso para a saúde bucal

16/09/2019 10:56

Apesar de integrar o rol de utensílios mais antigos já utilizados pelo homem, o palito de dente pode machucar a gengiva e facilitar o desenvolvimento de infecções

Publicidade

Quem nunca recorreu ao tradicional palito de dente para remover aquela sujeirinha do almoço sem precisar ir ao banheiro para usar um fio dental? Apesar da prática ser bastante comum, ela pode comprometer significativamente a saúde bucal.

Conhecido em todas as culturas humanas, o uso do palito é antigo. Há indícios que remontam da época dos neandertais — cujo as arcadas dentárias apresentam sinais do hábito. Até mesmo primatas já foram flagrados manuseando pedaços de madeira para a mesma finalidade. Porém, a primeira fábrica foi patenteada apenas em 1872.

Divulgaçãocrédito-pixabay

O dentista Gustavo Issas explica que todo ato de limpar os dentes deve ser suave e delicado, o oposto da proposta oferecida pelo palito. “Por ser uma material rígido, as chances de machucar a gengiva são altas e isso pode provocar problemas graves como retração óssea”.

Além disso o profissional reitera que a utilização do palito não substitui a outros itens de higiene bucal. “O ideal é trocá-lo pelo fio dental, que além de oferecer menos riscos, remove a sujeira indesejada de maneira mais eficiente .As pessoas sempre buscam por algo fácil para cuidar dos dentes, como um bochecho mágico. Isso não existe, escovar os dentes dá trabalho, demora e deve ser feito delicadamente, não existe outra forma”.

Inclusive, alguns países pelo mundo como França e Espanha, o ato de palitar os dentes  é tido como conduta deselegante. E para que você abandonar de vez o hábito, Gustavo Issas listou cinco motivos para não usar mais o palito de dente.

Aumenta o risco de infecções

O manuseio do utensílio requer o emprego de força para retirar a sujeira. “Como o uso, no geral, é feito sem o auxílio de um espelho, o risco de acabar machucando a gengiva durante o processo é significativo. Uma pequena perfuração no local pode se tornar porta de entrada para bactérias e acabar gerando infecções graves, principalmente porque o material não pode ser esterilizado”, alerta. 

Não é eficiente 

Apesar de parecer que os palitos ajudam a limpar, o objeto dá apenas uma falsa impressão de higiene. Na maioria dos casos, o palito remove parcialmente a sujeira, e acaba empurrando boa parte dos resíduos para o canto dos dentes. “Posteriormente, quando é feita a higiene bucal com a escova, a eliminação da sujeira fica bem mais difícil. Com o uso corriqueiro, crescem as placas bacterianas e por consequência se desenvolvem as cáries”.

Provoca retração gengival

Esfolamento e consequente retração gengival podem ocorrer devido a pressão exercida no local. Nessa condição, há uma redução do espaço de cobertura do dente pela gengiva, deixando-o mais exposto. 

Remove o esmalte dentário

Pela característica rígida, o palito pode desgastar o esmalte do dente — tecido mineralizado que atua na proteção contra bactérias e cáries. “Apesar de ser uma erosão menor, o uso frequente pode causar falhas, que, com o tempo, facilitam a entrada de bactérias”, explica Gustavo.

Aumenta os espaços entre os dentes

O movimento de empurrar com força o palito no espaço entre os dentes, os afasta  ligeiramente, em especial, quando a ação é feita várias vezes por dia. “Acaba funcionando de maneira semelhante a de um aparelho dentário que está constantemente empurrando os dentes, porém na direção contrária”. 
 



Publicidade