Apagão na UFRGS causa perdas milionárias em pesquisas científicas

Falta de energia elétrica afeta experimentos em diversas áreas, levando à morte de plantas e animais em projetos da universidade.

Por Plox

17/02/2024 08h29 - Atualizado há 4 meses

Um apagão no campus do Vale da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em Porto Alegre, resultou em um prejuízo estimado em milhões de reais para a instituição. O incidente, ocorrido no início desta semana, deixou ao menos 20 unidades de pesquisa sem fornecimento de energia elétrica por quase 30 horas, impactando severamente experimentos com plantas e animais.

divulgação

Origem do Problema

A interrupção no fornecimento de energia foi causada durante uma obra de ampliação da subestação da CPFL Serviços, quando cabos do sistema elétrico foram acidentalmente rompidos. "Durante escavações para a obra de expansão da subestação Porto Alegre 6, houve a ruptura acidental de cabos, o que ocasionou a interrupção no fornecimento de energia para uma das linhas de transmissão da rede da distribuidora CEEE Equatorial", comunicou a CPFL.

Impacto nas Pesquisas

De acordo com Paulo Vitor Dutra de Souza, vice-diretor da Faculdade de Agronomia da UFRGS, a falta de energia elétrica afetou gravemente os experimentos, especialmente aqueles que não contavam com o suporte de geradores elétricos suficientes. "Fomos pegos de surpresa", lamentou, mencionando que, apesar da existência de geradores, eles não eram capazes de atender 100% da demanda.

Um levantamento preliminar indicou danos significativos em projetos nas áreas de Horticultura e Zootecnia. Dutra de Souza, por exemplo, perdeu integralmente um estudo sobre fungos benéficos associados a raízes de plantas frutíferas. "Sem irrigação, todas as plantas morreram", relatou o vice-diretor. No setor de Zootecnia, cerca de 100 aves e vários peixes, essenciais para estudos científicos, também sucumbiram devido ao calor excessivo, exacerbado pela falta de refrigeração e oxigenação adequadas.

Reações e Consequências

A situação gerou indignação e chamou a atenção de figuras políticas, como o deputado estadual Miguel Rossetto (PT-RS), que utilizou as redes sociais para denunciar o incidente e sugerir a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a prestação de serviços pela companhia de energia.

Destaques