Programa de Demissão Voluntária é aprovado para funcionários de sete estatais; Petrobras e Correios estão na lista

17/05/2019 10:04

Medida gerará uma contenção anual de até R$ 2,3 bilhões somente com folha de pagamentos

Publicidade

O governo deu o pontapé para o desinchaço da máquina estatal no país, com a aprovação de Programa de Demissão Voluntária em sete empresas federais. O anúncio foi feito nessa quinta-feira, 16 de maio, pelo Ministério da Economia, encabeçado pelo economista Paulo Guedes.

Petrobras

Dentre as estatais, está confirmada no programa a Petrobras-Foto: Fernando Frazão/Agênica Brasil

Já estão confirmados nos programas quatro empresas brasileiras: a Petrobras, os Correios, a Embrapa e a Infraero. As demais estatais que aderiram à medida não tiveram os nomes informados neste momento por motivos de ordem estratégica, segundo a Secretaria Especial de Desestatização e Desinvestimento. Há uma estimativa de que 21 mil funcionários públicos deixem dessas empresas, o que gerará uma contenção anual de até R$ 2,3 bilhões somente com folha de pagamentos.  

No caso da Petrobras, até 4,5 mil servidores devem fazer parte do programa. Os funcionários que estejam aposentados até junho de 2020 são os aptos a aderir à medida; nesse caso, foram identificados cerca de 7,5 mil empregados. Já nos Correios, o número deve chegar a 7,3 servidores, na Infraero, deve ser de 600 funcionários, e na Embrapa, a soma é de 3 mil pessoas. 

A informação de Fernando Soares, da Coordenação e Governança das Estatais do governo, é de que a “ideia do PDV é redução de custos, com aumento da produtividade das empresas estatais”. As orientações sobre programa ficarão a cargo das empresas, por meio da direção e do setor de recursos humanos.  

Atualizada às 13h42



Publicidade