A hora da estrela retorna restaurado aos cinemas

Flme de Suzana Amaral revive obra de Clarice Lispector em alta definição

Por Plox

17/05/2024 09h48 - Atualizado há 25 dias

Quando começou a filmar "A Hora da Estrela" em 1984, Suzana Amaral já tinha uma vasta trajetória. Aos 50 anos, já era mãe de nove filhos, tinha estudado cinema na Universidade de São Paulo e se especializado na Universidade de Nova York. Durante os planos para rodar seu primeiro longa-metragem, baseado no romance de Clarice Lispector, Amaral assistiu a uma peça em São Paulo, onde conheceu Marcélia Cartaxo, a futura protagonista do filme.

Foto: Embrafilme/Distribuição

"Na época, eram comuns os questionamentos em relação aos atores que vinham do teatro para fazer cinema porque tinham gestos largos, eram exagerados. A Suzana ficou impressionada com meu trabalho contido no palco", lembra Cartaxo. Apesar das dificuldades financeiras, Amaral manteve contato com a atriz, o que resultou na escolha de Cartaxo para o papel principal.

O primeiro longa-metragem de Amaral conquistou dez prêmios no Festival de Brasília de 1985, incluindo melhor filme e atriz. Em fevereiro do ano seguinte, Cartaxo ganhou o Urso de Prata de melhor atriz no Festival de Berlim. "‘A Hora da Estrela’ foi um acontecimento gigantesco na minha vida. Definiu minha carreira, meus sonhos", afirma Cartaxo.

Processo de restauração

"A Hora da Estrela", assim como Cartaxo, passou anos esquecido. Recentemente, o filme foi restaurado e voltou aos cinemas nesta quinta-feira, integrando o projeto Sessão Vitrine Petrobras, que destaca produções brasileiras recentes e recupera filmes antigos.

O processo de restauração digital, que se estendeu de dezembro de 2023 a maio de 2024, envolveu a busca dos negativos originais e das cópias de exibição do filme. Parte do material foi encontrada na Cinemateca Brasileira e no Centro Técnico Audiovisual. Sob a coordenação de Débora Butruce, presidente da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, o material foi analisado, escaneado e tratado digitalmente, resultando numa versão em 4K do filme.

"O trabalho de restauração envolveu pesquisas e ajustes minuciosos para recuperar a integridade das cores e do som originais", explica Butruce. "Existe uma mudança de mentalidade em curso. As pessoas começam a entender a preservação como parte da cadeia do audiovisual."

Conclusão

Em 6 de maio de 2024, a restauração foi concluída e a versão digital de "A Hora da Estrela" estava pronta para ser exibida. Os materiais em película foram devolvidos à Cinemateca Brasileira e ao CTAv, junto com os arquivos digitais resultantes. Graças ao trabalho de Butruce e sua equipe, o cinema brasileiro reencontra três grandes mulheres da cultura: Clarice Lispector, Suzana Amaral e Marcélia Cartaxo.

Destaques