Atividades culturais marcaram o Dia de Combate à Violência contra Idosos

17/06/2019 17:39

“O evento está nos proporcionando o reencontro com vários amigos e, só por isso, já seria válido”

Publicidade

Em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, o Conselho Municipal do Idoso de Ipatinga, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, realizou na última sexta-feira (14), juntamente com as entidades socioassistenciais e vários parceiros, diversas atividades no galpão central do Parque Ipanema.

O evento denominado "Manhã no Parque - Não à Violência contra a Pessoa Idosa”, de mobilização e conscientização, teve a participação maciça de idosos cadastrados em diversas entidades. Também o prefeito Nardyello Rocha prestigiou a programação. 

No entorno do galpão, estandes com profissionais de saúde ligados à Fundação São Francisco Xavier (FSFX) e estudantes da Faculdade Única realizaram aferição de pressão arterial e mediram índice de glicemia no sangue. A Fadipa também esteve presente com seu estande, oferecendo orientação jurídica.

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

Outro estande concorrido foi o do Banco de Alimentos de Ipatinga, que contribui com doações para entidades assistenciais do município e apresentou durante o evento a sua famosa geleia de pera para degustação do público. 

Apresentações culturais realizadas pelos grupos da terceira idade também animaram o encontro. Em clima de muita alegria e descontração, os idosos dançaram e se divertiram bastante. Entre eles estava o aposentado Afonso Papa de Araújo, de 76 anos, mais conhecido no bairro Canaãzinho, onde reside, como “Querosene”. Ele, que já foi eleito Mister Terceira Idade, ficou bastante satisfeito com a manhã festiva. “Esse apelido vem desde minha época de jogador de futebol amador na cidade”, explicou, para complementar em seguida: “O evento está nos proporcionando o reencontro com vários amigos e, só por isso, já seria válido”.

Acompanhando de perto toda a programação, ao lado do secretário Lúcio Aguiar e equipe técnica, a secretária Adjunta de Assistência Social, Cláudia Castro, fez um importante alerta em sua fala. “Infelizmente, a sociedade em geral não está preparada para o processo de envelhecimento, é o que se percebe. É comum a família viver com o idoso enquanto ele está produtivo, colaborando com os cuidados da casa e dos netos. Mas quando vêm a enfermidade e a dependência, esta família se diz inapta para o cuidado com a pessoa idosa. Neste momento recorrem aos serviços para que sejam disponibilizadas vagas para internação”, pontuou.

População idosa
Estima-se que atualmente Ipatinga tenha uma população idosa de 26 mil pessoas ou cerca de 10% dos moradores. Segundo o IBGE, em 2017 os idosos representavam 13,5% da população brasileira, e a estimativa é de que em 2027 o Brasil terá 24,5% de sua população formada por idosos.

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

Além do prefeito Nardyello Rocha, os vereadores Franklin Meireles, Avelino Cruz (“Vevê”), Chiquinho do Bom Jardim, Rominalda e Vanderson Autotrans também passaram pelo Parque Ipanema. Nardyello destacou que o Executivo está atento aos cuidados que a população ipatinguense da terceira idade necessita. ”Atender dignamente essas pessoas que ajudaram na construção da nossa cidade é prioridade do governo, e os nossos órgãos responsáveis estão instruídos a lhes proporcionar toda assistência necessária”, enfatizou. 

Alento
Assistente social da instituição de longa permanência Ação Evangélica, no bairro Veneza II, e com a experiência de quem trabalha com idosos há muitos anos, Maria do Carmo fez um importante relato. “Mesmo com os desafios que a família enfrenta no que tange a institucionalizar o idoso, existe uma pequena porcentagem de pessoas que buscam alternativas para realizar o processo de desinstitucionalização, o que se constitui num grande alento”.

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

Um caso a ser comemorado é o da senhora R. M., que apesar de não ter filhos, ao longo da vida estreitou vínculos com o sobrinho, que sempre foi presente em sua vida mesmo em quase dez anos morando na instituição. Ao se casar e contando com a colaboração da esposa, este mesmo sobrinho realizou o desejo da tia de voltar a desfrutar permanentemente do convívio familiar.

“Isto se dá em meio a inúmeros fatores negativos que vivenciamos no século”, concluiu a assistente. 



Publicidade