Presidente do PSG diz que '"ninguém obrigou Neymar a assinar com o clube" e cobra comprometimento

17/06/2019 11:56

Para o cartola, prioridade com o projeto é essencial

Publicidade

O presidente do Paris Saint-Germain (PSG), Nasser Al Khelaifi, demostrou que não está afim de perder tempo com esportistas que querem holofotes, mais do que jogar bola e entregar títulos. Em entrevista publicada nesta segunda-feira, 17 de junho, em uma revista da França ele aproveitou para cobrar dedicação dos jogadores com a equipe. 

Nasser e Neymar

Nasser disse que não irá mais admitir jogador com atitudes de estrela- Foto: Instagram/Reprodução

O PSG investiu alto em nomes como Neymar, que tem contrato com o clube até 2022, mas teve somente um título neste ano. Na Copa da Liga Francesa, por exemplo, o time perdeu para o Guingamp, clube francês com menor expressividade que o PSG. Em relação ao brasileiro, o dirigente do clube deu o recado em alto e bom som: "É claro que há contratos a serem respeitados, mas a prioridade agora é o compromisso total com o nosso projeto. Ninguém obrigou Neymar a assinar com o PSG. Ninguém o forçou. Ele veio conscientemente para participar no nosso projeto", disse.

O dirigente pelo visto, irá cobrar de seus atletas comprometimento total, com mais resultados, caso contrário, segundo o cartola, não haverá problemas em abrir mão dos jogadores chamados por ele de ‘popstars’: "Os jogadores terão que assumir as responsabilidades muito maiores do que antes na próxima temporada. Têm que ser completamente diferente. Terão que fazer mais, trabalhar mais. Não estão aqui para se divertirem. E se não concordarem com este ponto de vista, as portas estão abertas. Adeus! Não quero continuar a ter jogadores com comportamentos de popstars", afirmou Al Khelaifi. 

Brasileiro na direção esportiva 

No último dia 14, o PSG anunciou o retorno de Leonardo (Leo) de Araujo ao clube. O brasileiro retorna ao time para o cargo de diretor esportivo, uma função que ele já realizou de 2011 a 2013. Com 49 anos, o ex-jogador brasileiro foi vencedor da Copa do Mundo de 1994 e da Copa América de 1997, e  inicia sua terceira experiência no clube francês. Leo se mostrou animado:

"Este clube tem sido muito importante na minha carreira e na minha vida. Eu realmente tive grandes emoções aqui como jogador nos anos 90 e, mais recentemente, como diretor esportivo ao lado de nosso presidente, Nasser Al-Khelaïfi, quando retornei ao clube em 2011. Hoje, estou voltando para Paris com grande entusiasmo e energia para fazer parte deste clube para o qual eu tenho um profundo respeito ", declarou o brasileiro. Nasser, por sua vez, demonstrou empolgação e que confia na aquisição: "O Paris Saint-Germain sempre foi sua família, estamos muito felizes em recebê-lo novamente. Seu retorno, com seu dinamismo e talento que conhecemos, ajudará a colocar o clube em um novo ciclo ambicioso", garantiu Nasser.

Atualização 13h25


 



Publicidade