Governo pretende acabar com a tomada de três pinos

17/06/2019 15:58

Nas redes sociais, Joice Hasselmann fez uma votação, perguntando aos seus seguidores qual a opinião sobre o plugue

Publicidade

Em uso obrigatório no país desde 2011, a tomada de três pinos divide opiniões entre os que gostam e aqueles que não a acham nem um pouco interessante. Mas nesse domingo, 16 de junho, o tema foi levantado pela líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL). 

Joice

Joice Hasselmann fez uma enquete com votação- Foto: Valter Campanato/Agência Brasil


Em suas redes sociais, a pesselista fez uma votação, perguntando aos seus seguidores qual a opinião sobre o plugue, se concordam ou não. Entre os quase 52 mil que participaram, apenas 41% pessoas preferem o modelo em vigor, contra 59% que são favoráveis a extinguir o modelo de três pinos. Ele ainda escreveu: "Padrão obrigatório desde 2011, a tomada de três pinos é considerada uma 'excrescência' e, segundo o secretário especial de Produtividade, afeta a concorrência e a produtividade", disse Joice, demonstrando o posicionamento do governo em fazer a mudança. 

Dos 85 países que fazem parte da Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC), somente o Brasil, a África do Sul, a Suíça, e outros cinco países adotaram esse padrão de plugue. Quando se tornou obrigatória, a nova tomada tinha valor cerca de quatro vezes mais elevado que das anteriores.


Lançado em 1986 pela Comissão Eletrotécnica Internacional com o objetivo de que os três pinos se transformassem em modelo universal. O estudo dessas tomadas no Brasil começou 1994. Em 2000, o presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), na época Armando Mariante Carvalho Junior, exigiu que 196 milhões de pessoas trocassem as tomadas em mais de 60 milhões de casas no país. Com isso, foi gasto cerca de R$ 1,4 bilhão para que a população mudasse para o modelo de três pinos.
 

Atualização 18h35



Publicidade