Senador contrata namorada para seu gabinete, a exonera e ela é contratada pelo Senado

17/06/2019 16:05

Publicidade

Uma advogada foi contratada para o gabinete do senador Marcos do Val (PPS-ES) como assessora parlamentar, promovida, exonerada pelo senador e depois foi contratada novamente, desta vez para atuar como consultora legislativa do Senado. Isso, de janeiro até maio.Reprodução Após demitir namorada, senador alegou que tinha se apaixonado por ela Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-06-17/namorada-de-senador-ganha-cargo-publico-e-e-promovida-em-menos-de-um-mes.html

Marcos e Brunella namoram há apenas um mês- Foto: Reprodução


A servidora é Brunella Poltronieri Miguez, namorada de Marcos. De acordo com o site GazetaOnline, a funcionária iniciou o trabalho no gabinete do senador em janeiro, atuando como auxiliar parlamentar pleno. Até então, ela recebia quase R$ 9 mil de remuneração. Ela ficou na função até fevereiro, quando foi exonerada, para ser promovida ao cargo de assistente parlamentar intermediário, quando passou a ganhar um salário de R$ 13,5 mil. Já em abril, ela foi exonerada novamente, e menos de um mês depois, Brunella foi nomeada no cargo de secretária parlamentar na diretoria-geral do Senado. Conforme o site Metrópoles, lá ela atua como consultora legislativa, com ganhos aproximados de R$ 11 mil. 


Posicionamento do senador
De acordo com o senador, ele a exonerou de seu gabinete para evitar “qualquer resquício de imoralidade”, e que não interferiu na decisão de contratação de Brunella porque é sua namorada, pois eles “nem sabem disso”, pois o relacionamento é recente. Marcos do Val afirmou ainda que quando começou a namorá-la, há um mês atrás, mesmo verificando na Consultoria da Casa que não havia ilegalidade na contratação, ele a demitiu de seu gabinete. Brunella tem formação em Direito, especialização em Direito Penal e possui mestrado em Políticas Públicas. Marcos ressaltou: “É claro que com esse currículo, o próprio Senado Federal a absorveu, colocando em uma área em que estava demandando de profissional com esta especialidade”, disse ele em no Instagram.

Cancelamento de sua aposentadoria especial

O senador publicou em seu Instagram nesta tarde, sua decisão de abrir mão do Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC), conhecido como aposentadoria especial. Do Val explicou que sua decisão foi tomada pelo fato de que no regime especial ele pagava mais do que se sujeitando às regras do INSS. "No regime do INSS o desconto no salário é bem menor, de R$ 621 mensais (equivalente a 11% sobre o teto). Já os que escolheram a aposentadoria do Congresso têm que contribuir com R$ 3.713 por mês (11% sobre o salário de parlamentar) todos os meses, por 35 anos".

Conforme o senador, a aposentadoria do Senado se banca e não é imoral. Marcos ressaltou: "Porém, o povo do meu estado e do Brasil entendem que isso é mais um privilégio e vieram me solicitar para abrir mão. Como optei por um mandato participativo, ouvindo sempre meu eleitorado, decidi, na tarde desta segunda-feira (17), abrir mão da aposentadoria do Senado", finalizou.

Atualização 19h38
 



Publicidade