ATUALIZADA: Gaeco de Ipatinga denuncia prefeito de Bom Jesus do Galho

17/09/2019 07:05

Dois irmãos e funcionários da prefeitura também foram denunciados

Publicidade

O Prefeito de Bom Jesus do Galho-MG, dois irmãos e funcionários da prefeitura municipal foram denunciados por crime de peculato, previstos nos artigos 1º do DL 201/67. As denúncias foram feitas nessa segunda-feira (16).

Segundo investigações do GAECO (Grupo e Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Ipatinga, em conjunto com a procuradoria de Justiça de Belo Horizonte, duas denúncias foram protocoladas. As investigações promovidas por promotores de Justiça e um Delegado da Polícia Civil, dão conta que pelo menos dois fatos descritivos como desvios de dinheiro público junto ao município. Na terça-feira (17), uma terceira denúncia foi protocolada.

Ainda de acordo com o GAECO, em um primeiro caso, cheques eram emitidos da prefeitura para a própria prefeitura, e com a assinatura do chefe do executivo no verso. Em relatório do Delegado Gilmaro Alves, o mesmo concluiu que a finalidade era ocultar os destinatários dos saques, ferindo flagrantemente os princípios da moralidade e publicidade dos atos da administração pública. Após investigações, descobriu que os saques eram efetuados pelos irmãos do prefeito municipal em benefício próprio, o que ocorreu também com uma servidora da tesouraria. 

DivulgaçãoWhatsApp Image 2019-09-16 at 23.20.14

A denúncia foi assinada pelo Procurador de Justiça, Dr. Cristovam Joaquim F. Ramos Filho e pelo promotor de Justiça do Gaeco de Ipatinga, Dr. Bruno Schiavo Cruz.

O segundo caso consta de desvios de valores da festa do Jubileu de 2017, primeiro ano de mandato do prefeito municipal. As investigações promovidas pelo GAECO, com a participação de promotores de justiça, policiais civis e militares, dão conta de valores da festividade. Vereadores e funcionários do município afirmaram que nesse ano (2017), todos os pagamentos foram exigidos em dinheiro e não pagamentos nas unidades bancárias. 

Segundo o delegado Gilmaro Alves, os valores eram recebidos pelos fiscais que entregavam os valores diretamente ao prefeito municipal. “A câmara municipal, através de um de seus vereadores, encaminhou diversos ofícios requerendo informações, não sendo atendida”. 

Foto: Marcelo Augusto / PLOX20190918 103417

Conforme informações do GAECO, “o próprio município não soube explicar quem foram as pessoas locatárias, e, mesmo apresentando um depósito após as denúncias dos vereadores, quatro meses depois, não conseguiu demonstrar que o depósito realmente era da festa do Jubileu ou outro depósito, visto o título constante do depósito junto a unidade bancária”.

Em conversa, os investigadores (policiais e promotores) afirmaram que outros fatos também estão sendo investigados.

Após solicitação do PLOX, o prefeito de Bom Jesus do Galho encaminhou uma nota de esclarecimento:

William Batista de Calais vem registrar de início que não tem poupado esforços para colaborar com todas as investigações, fornecendo a todo tempo e modo os documentos requisitados pelo Ministério Público. 

Ocorre, todavia, que os órgãos de acusação infelizmente preferiram levar as conclusões de suas investigações primeiramente à imprensa, antes mesmo de dar conhecimento delas à Justiça e a mim, o que impede uma manifestação sobre os fatos e notícias, que não são de meu integral conhecimento. 

Contudo, há que se fazer pontuais esclarecimentos: 

1- No tocante aos valores recebidos da locação dos espaços públicos durante a Festa do Jubileu do ano de 2017, foram todos depositados na conta do Município, conforme comprovantes bancários entregues ao Ministério Público. 
A partir do ano de 2018, os valores foram depositados devidamente na conta da prefeitura. 
2- Quanto aos cheques apontados na matéria, em investigação no âmbito municipal, apurou-se quais servidores eram responsáveis, e houve a devida devolução dos valores aos cofres públicos, portanto sem prejuízo ao patrimônio público. 
Assim continuamos firmes na administração municipal, sempre pautando pela austeridade e no escorreito cumprimento da lei. 

Bom Jesus do Galho, 17 de setembro de 2019 

William Batista de Calais Prefeito Municipal 
 



Publicidade