Ipatinga

acontece

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Motoristas paralisam atividades em quatro minas da Vale

    Trabalhadores reivindicam melhores condições de trabalho, pagamento de horas extras e a readmissão dos trabalhadores demitidos

    Por Plox

    17/10/2021 17h25 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Desde a quinta-feira (14), motoristas da empresa Univale deixaram de levar trabalhadores para pelo menos quatro minas administradas pela Vale: Fazendão, Alegria, Timbopeba e Fábrica Nova. As atividades nessas minas estão comprometidas em função do movimento grevista.

     

    Dezenas de ônibus da Univale estão há dois dias sem levar trabalhadores para as minas da Vale. Foto: Lui Pereira / Agência Primaz
    Dezenas de ônibus da Univale estão há dois dias sem levar trabalhadores para as minas da Vale. Foto: Lui Pereira / Agência Primaz

     

    Os trabalhadores alegam que ainda não foram ouvidos nem pela empresa, nem pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Ouro Preto (STTROP), que representaria a categoria. O sindicato dos rodoviários não reconhece o movimento grevista. A Univale afirma que a mobilização é “totalmente ilegal”.

    Motoristas se concentraram nos arredores da pirâmide da Vila Samarco. Foto: Lui Pereira / Agência Primaz
    Motoristas se concentraram nos arredores da pirâmide da Vila Samarco. Foto: Lui Pereira / Agência Primaz

     

     

    Os representantes dos motoristas informaram que o movimento é pacífico e tem o apoio do Sindicato Metabase Inconfidentes e da Central Sindical Popular Conlutas. As reivindicações são de melhores condições de trabalho, aumento do valor do vale alimentação, pagamento de horas extras, locais adequados de descanso nas minas e a readmissão dos três funcionários demitidos em função da paralisação ocorrida sexta-feira (15).

    Esse motoristas tem cargo na Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Participantes da comissão tem estabilidade empregatícia por até um ano após deixarem o cargo na comissão. Essa medida evita que haja perseguição patronal sobre os trabalhadores que têm como objetivo melhorar a qualidade de vida e saúde dos trabalhadores.

    O site Agência Primaz de Comunicação conversou com um dos motoristas demitidos. Hebert Junior Moreira explicou que, em função da pandemia, os motoristas passaram a ser responsáveis pela higienização dos veículos. Além disso, ele alega que não existe um local adequado para o descanso dos trabalhadores nas minas, principalmente entre os turnos de trabalho.

    Outros lados

    O presidente do STTROP, Wanderson Epifânio, diz que a mobilização dos motoristas é organizada por uma terceira entidade e não é reconhecido pelo sindicato dos trabalhadores rodoviários. “O indicativo de greve não está sendo conduzido pelo sindicato dos rodoviários de Ouro Preto, com base em Mariana e Itabirito. Ficamos sabendo que teve um ato de represália da empresa porque a greve é liderada por outra entidade representativa”.

     

    A Univale informou, por meio de contato direto com o site Agência Primaz, que “teve sim o movimento, conduzido pelo Sindicato dos Inconfidentes, alheio ao Sindicato dos Rodoviários, ou seja, movimento totalmente ilegal”. A mensagem diz ainda que “a empresa já está tomando as medidas judiciais cabíveis”.

    Fonte: https://defatoonline.com.br/motoristas-paralisam-atividades-em-quatro-minas-da-vale/
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021[email protected]