Empresário de Santos devolve Pix de R$ 690 mil recebido por engano

Lealdo dos Santos Souza, comerciante de ar-condicionado automotivo, age com honestidade e parcela a devolução do valor

Por Plox

17/11/2023 09h12 - Atualizado há 6 meses

Um empresário do ramo de ar-condicionado automotivo em Santos, litoral de São Paulo, enfrentou um dilema inesperado após receber um Pix de R$ 690 mil por engano. Lealdo dos Santos Souza, 38 anos, percebeu a transferência equivocada em sua conta e, apesar do susto inicial e de conselhos para ficar com o dinheiro, optou por devolver toda a quantia ao verdadeiro destinatário.

Foto: Arquivo Pessoal

A transferência inesperada levou Lealdo a acreditar inicialmente que se tratava de um golpe. "Na hora [do Pix] fiquei desesperado [...]. Na minha cabeça, a primeira coisa que eu pensei era que fosse algum golpe, que os caras jogaram na minha conta por engano e depois iam vir me procurar", explicou ao g1. O empresário chegou até a suspeitar de envolvimento em um sequestro, mas após 24 horas de reflexão, decidiu procurar o banco de origem do dinheiro para esclarecer a situação.

Foto: Arquivo Pessoal

No banco, uma gerente ajudou a identificar o verdadeiro dono do dinheiro, surpreendida pela atitude honesta de Lealdo. O beneficiário, um bancário que comprava um apartamento, tinha sido cliente do empresário um mês antes, o que explicava como sua conta acabou salva no sistema de transferência do bancário. "Fiz um trabalho no carro dele", lembrou Lealdo.

A devolução, no entanto, enfrentou obstáculos. O C6 Bank, banco de Lealdo, bloqueou sua conta após ele tentar fazer o estorno, alegando operar sob as regras do Mecanismo Especial de Devolução (MED) do Banco Central. O empresário, então, optou por devolver o valor em parcelas, fazendo Pix de R$ 100 mil por dia até completar o valor total. O processo terminou na quinta-feira (16), e Lealdo manteve contato com o bancário através da advogada deste, devido a problemas de saúde recentes do bancário.

"Na hora, tinha achado que fosse um novo golpe. Ia acabar com o sonho dele", disse Lealdo ao g1, ressaltando a importância de fazer a coisa certa. O C6 Bank, em nota, afirmou que o bloqueio do saldo seguiu as regras do Pix e que a devolução parcial foi uma escolha do cliente, não imposição do banco.

 

Destaques