Influencer evangélico Victor Bonato solto após acusações de estupro

Justiça nega pedido para converter prisão temporária em preventiva; Bonato comemora decisão nas redes

Por Plox

17/11/2023 09h15 - Atualizado há 6 meses

O influenciador evangélico Victor de Paula Gonçalves, mais conhecido como Victor Bonato, foi solto nesta quinta-feira (16/11) depois de quase dois meses na prisão. Bonato, fundador de um movimento religioso em Alphaville, um bairro nobre de Barueri, estava detido sob acusação de estuprar três fiéis. A 2ª Vara Criminal de Barueri rejeitou um pedido do Ministério Público de São Paulo para converter sua prisão temporária em preventiva.

Decisão Judicial e Restrições Segundo declarações do magistrado Fabio Calheiros, compartilhadas por Bonato em suas redes sociais, a decisão de liberá-lo baseou-se na necessidade de mais detalhes na investigação para a abertura de um processo criminal. O juiz impôs restrições ao influenciador, proibindo-o de se aproximar a menos de 200 metros das mulheres que o acusam e de manter contato com elas ou seus familiares.

Reação de Bonato Em seu perfil no Instagram, Bonato publicou uma foto em frente à Cadeia Pública de Carapicuíba, onde estava preso, comemorando a decisão judicial e afirmando que "A Justiça foi feita".

Contexto das Acusações As vítimas, com idades entre 19 e 24 anos, denunciaram Bonato na Delegacia da Mulher de Barueri em setembro, alegando que ele usava sua influência religiosa para manipulá-las e forçá-las a ter relações sexuais. Os supostos crimes teriam ocorrido entre janeiro e setembro deste ano, em locais como a casa de Bonato em Alphaville. Antes das acusações se tornarem públicas, Bonato já havia anunciado um "detox de redes sociais" e posteriormente se retirou da liderança do Galpão, o movimento religioso que fundou.

Destaques