Número de casos de infarto e AVC aumentam no frio, alerta cardiologista

18/07/2019 07:02

As pessoas tendem a ingerir menos líquido no frio, o que contribui para o aumento do entupimento das artérias

Publicidade

Em vários lugares do mundo estudos mostram que o infarto e o AVC (acidente vascular cerebral) aumenta em 30% e 20% durante o inverno. Durante a época de baixas temperaturas, é comum que as pessoas gripem, e o vírus influenza potencializa a chance de haver infarto ou derrame.

"O aumento da pressão sanguínea sobre a parede dos vasos que estão com o calibre reduzido, além de sobrecarregar o coração, facilita o desprendimento de placas de gordura localizadas no interior das artérias, que podem bloquear o fluxo do sangue para o coração e para o cérebro”, informa o cardiologista e presidente do InCor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP), Roberto Kalil. 

De acordo com o médico, isso ocorre para que seja mantida a temperatura corporal em torno de 36ºC. Para combater a perda de calor em órgãos vitais no inverno, o corpo libera uma substância chamada catecolamina.

As pessoas tendem a ingerir menos líquido no frio, o que contribui para as chances de aumento no entupimento de artérias. "Como sentem menos sede no frio, as pessoas acabam ingerindo menos líquido e desidratam. O sangue mais denso e viscoso coagula mais facilmente, o que colabora também para o aumento da pressão sanguínea”, informa Kail.

As doenças respiratórias causam inflamação nos vasos sanguíneos, o que faz com que as placas de gordura localizadas nas artérias corram o risco se desprenderem.

Kalil alerta quanto a prevenção durante as baixas temperaturas, recomendando agasalhar-se bem e evitar exposição. Ele indica que sejam praticadas atividades físicas, ingerir líquidos com frequência e vacinar-se contra a gripe.

Atualizado às 8h39



Publicidade