Morto se mexe no caixão, aperta mão de esposa e transpira, diz família

18/08/2019 12:21

Falecido era detento e foi identificado como Raimundo Bezerra de Sousa, que morreu aos 61 anos

Publicidade

Imagine a cena de um velório acontecendo. De repente, o falecido aperta a mão da esposa que o está velando. Parece uma história meio assustadora, mas, segundo a esposa do falecido identificado como Raimundo Bezerra de Sousa, que morreu aos 61 anos, a situação aconteceu.

O velório acontecia em São Luiz do Curu, no Ceará, no último dia 16 de agosto, sexta-feira, quando a viúva teria sentido sua mão apertada pelo morto. Outras pessoas que estavam no local também alegaram que o corpo de Raimundo se mexia no caixão, além de ter transpirado. 

Morto

Foto: Reprodução/Imagem Ilustrativa

Detento, Raimundo passou mal dentro da cadeia de Trairi e foi levado para um hospital em Itapipoca. Ele morreu no final da noite do dia 15, sendo velado no dia seguinte pela manhã. A família teria percebido que Raimundo apresentava sinais vitais e acionou o socorro do Samu, porém, após exames, os médicos concluíram que ele realmente estava morto.

Não satisfeita, a família  levou o corpo para outro hospital, desta vez, em São Luis do Curu. Após mais uma bateria de exames, a conclusão era novamente de que ele havia morrido, para tristeza dos familiares, que ainda tinham esperanças. A unidade de saúde entregou o corpo à família para ser sepultado.

Atualizada às 9h30



Publicidade