Tio acusado de estuprar e engravidar menina de 10 anos é preso em MG

Caso ganhou repercussão nas redes sociais, por conta de manifestações, a favor e contra, em relação a realização do aborto

Por Plox

18/08/2020 09h20 - Atualizado há mais de 3 anos

Na madrugada desta terça-feira (18), um homem, de 33 anos, acusado de estuprar e engravidar a sobrinha, de 10 anos, em São Mateus, no Espírito Santo, foi preso em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte-MG.

A informação da prisão foi confirmada por Renato Casagrande, governador do Espírito Santo, através do seu perfil, no Twitter.

“A nossa polícia efetuou nesta madrugada a prisão do estuprador da menina violentadano no interior do ES. Que sirva de lição para quem insiste em praticar um crime brutal, cruel e inaceitável dessa natureza. Detalhes da operação serão repassada pela equipe segurança ainda hoje.”, disse o governador na publicação.

Ainda não se sabe como foi a fuga do suspeito, ou como ele veio parar em Minas Gerais. Segundo Renato Casagrande, mais informações serão repassadas ainda nesta terça-feira.

 

Entenda o caso

No último dia 8 de agosto, a gravidez da menina, de 10 anos, foi exposta após uma consulta dela, em um hospital de São Mateus. A menina reclamava de dores abdominais e, após diversos exames, foi constatada a gravidez.

O tio da menina, de 33 anos, foi acusado de ter estuprado a menina. A vítima afirmou a polícia que sofria abuso desde os 6 anos. A Justiça expediu um mandado de prisão preventiva contra o acusado na quarta-feira (12), mas ele estava foragido.

 

Aborto

Desde que o caso foi divulgado, uma discussão surgiu, em relação a realização, ou não, de um aborto. O Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES) afirmou em nota que a decisão seria técnica e com base na legislação, sendo assim, “sem influências religiosas, filosóficas e morais”. 

A garota foi internada no último domingo (16) e passou pelo procedimento nessa segunda-feira (17).

A realização do procedimento seria no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), no estado do Espírito Santo, porém, por conta da gestação da menina estar por volta dos cinco meses, o hospital alegou não ter capacidade de realização do procedimento.

A menina então viajou para o estado do Recife, para um hospital que teria condições e protocolos para realizar o procedimento. 

 

Redes Sociais

O caso ganhou as redes sociais, por conta das manifestações que aconteceram em relação a realização, ou não do aborto.

Muitos defendem a não realização do aborto. Sara Winter, influenciadora digital, e que esteve presa recentemente, foi acusada de expor o local onde a menina iria fazer o procedimento e diversas pessoas estiveram na porta do hospital, para protestar contra a realização do procedimento.

Por outro lado, diversas pessoas, como Felipe Neto, fizeram campanha para que a opinião da menina e da família da menina fosse ouvida, em relação ao aborto e o risco de problemas para a mãe, e até o próprio feto.
 

Destaques