Confira 4 dicas para sair da inadimplência e começar 2021 com o pé direito

O primeiro passo é confirmar se você está inadimplente e quais são suas principais dívidas

Por Plox

18/12/2020 10h42 - Atualizado há mais de 3 anos

De acordo com dados levantados por uma empresa especializada em análise de dados, desde o começo da pandemia houve uma queda de 50% no pagamento das dívidas. Com esse cenário, somado às comemorações e compras de fim de ano, ficou ainda mais desafiador manter as contas em dia. Além disso, a pendência financeira fica atrelada ao histórico da pessoa, fazendo com que seu nome seja negativado. 

Foto: Agência Brasil

 

Com o nome sujo, surgem as dificuldades para conseguir fazer um cartão, financiamento ou empréstimo, por exemplo, ou comprar produtos parcelados. 

Consulte seu CPF: identifique quanto e para quem você deve 

O primeiro passo é confirmar se você está inadimplente e quais são suas principais dívidas. Para isso, é possível consultar de forma gratuita o seu CPF no site Serasa Consumidor e verificar quais são as dívidas e qual o valor. Se possível, também recupere documentos que comprovem o valor inicial dos seus débitos e saiba quanto você deixou de pegar. Assim, é possível você identificar o CET (Custo Efetivo Total), já que o valor aumenta por conta de juros, multas e taxas. 

Avalie sua situação financeira antes de pagar 

Agora que você tem as informações em mãos, é hora de avaliar sua situação financeira. Organize todas as suas contas e despesas fixas do mês para identificar quanto do seu orçamento pode ser utilizado para quitar essas dívidas. Caso o dinheiro seja suficiente para pagar uma ou mais de uma das contas à vista, aproveite para negociar um desconto. Se os valores dos débitos não couberem no seu orçamento de maneira integral, é possível renegociar. 

Renegocie suas dívidas 

Se não é possível quitar uma dívida de forma integral, uma alternativa é negociá-la para pagar de forma parcelada. Entre em contato com o seu credor e peça uma proposta. Neste caso, não precisa ter receio de negociar um débito, afinal, o interesse de quitar é de ambas as partes, por isso, não tenha pressa e avalie a proposta e se ela cabe dentro do seu orçamento. Em caso positivo, é hora de assinar o contrato e começar a pagar. Quando existem muitas dívidas, é importante utilizar um critério para selecionar quais irá renegociar primeiro. Você pode optar pelos débitos que estão gerando mais juros, por exemplo, como cartões de crédito. 

Fuja das tentações e de novas dívidas 

Agora que você está organizando sua vida financeira, pagando ou negociando suas pendências, é importante evitar novas dívidas, especialmente com as tentações de compras de final de ano. Seja realista com você mesmo e com o seu orçamento, identificando o que realmente é necessário comprar e o que é apenas um desejo passageiro. Além disso, sempre que possível, dê preferência para pagamentos à vista: você pode conseguir um desconto e ainda evita mais parcelamentos e novas contas. Se organizar financeiramente com uma planilha de gastos e ter uma reserva de emergência também são caminhos para uma vida financeira mais saudável.

Destaques