Sergio Moro é esperado no Senado para esclarecer suposto vazamento de mensagens

19/06/2019 08:21

Publicidade

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, deve comparecer ao Senado Federal para falar responder questionamentos a respeito das supostas mensagens vazadas entre ele e integrantes da Operação Lava-Jato, como o procurador Deltan Dallagnol. Os esclarecimentos serão prestados nesta manhã de quarta-feira, 19, à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).  

Moro

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil


De acordo com reportagem do site The Intercept, as conversas sugerem possíveis influências sobre a operação. O ministro lamentou a "falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores" e também a  "postura" do veículo, que não o contatou antes da publicação da reportagem.
Deputados de oposição já articulavam pela apresentação de requerimentos para convocar Moro para prestar explicações aos parlamentares no dia seguinte ao vazamento das mensagens.


Após a divulgação do suposto vazamento, o ministro afirmou: "Eu recebi aquela informação, e aí sim, vamos dizer, foi até um descuido meu, apenas passei pelo aplicativo. Mas não tem nenhuma anormalidade nisso. Não havia uma ação penal sequer em curso. O que havia é: é possível que tenha um crime de lavagem e eu passei ao Ministério Público", disse Moro. 

Bolsonaro o elogia

Ontem, na cerimônia de assinatura da Medida Provisória que trata da venda de bens de traficantes, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a medida ajudará o ministro Moro, com mais respaldo para atuar no enfrentamento ao crime organizado. O presidente aproveitou para tecer elogios ao ministro. O mandatário ressaltou a coragem do ministro, ao renunciar a 22 anos como juiz para integrar o governo, combatendo o “crime organizado e a lavagem de dinheiro”. Bolsonaro elogiou: “Um homem-símbolo e que quer mudar seu país”, disse, completando: “Não é qualquer pessoa que faz isso pela sua pátria”. 

 

Atualizada às 8h51



Publicidade