Ex-BBBs que já morreram; confira a lista

Entre os competidores que já passaram pelo programa, alguns tiveram suas vidas interrompidas após deixarem a casa

Por Plox

19/06/2023 09h46 - Atualizado há 10 meses

Com uma presença marcante na TV brasileira desde 2002, o programa Big Brother Brasil (BBB), da Rede Globo, capturou a atenção de milhões de espectadores ao longo dos anos. Entretanto, pouco se sabe sobre o destino final de alguns de seus competidores após deixarem o confinamento da casa cenográfica.

A Isolada Realidade dos Participantes do BBB

A vida no BBB é marcada pelo distanciamento completo do mundo externo. Os participantes, sob constante vigilância de câmeras que transmitem 24 horas por dia, enfrentam restrições severas quanto à comunicação com o exterior. Eles são impedidos de acessar qualquer dispositivo móvel, jornais, correspondências e até mesmo não podem assistir televisão ou ouvir rádio, fazendo com que a casa se torne seu único universo.

As únicas oportunidades para os participantes entrarem em contato com o mundo externo são através das interações com o apresentador da edição e com as visitas de convidados especiais, que incluem cantores, atores e apresentadores da Rede Globo.

Atualmente conduzido pelo jornalista Tadeu Schmidt, o programa já contou com a presença de grandes nomes na apresentação, incluindo Pedro Bial, Tiago Lifert e Marisa Orth, sendo esta última co-apresentadora ao lado de Bial na edição inaugural do BBB, em 2002. Desde então, 23 edições foram ao ar até 2023, sendo que as duas primeiras ocorreram no mesmo ano.

Os Rostos por Trás das Memórias: Ex-BBBs que Faleceram

Entre os competidores que já passaram pelo programa, alguns tiveram suas vidas interrompidas após deixarem a casa.

Um exemplo é André Almeida, conhecido como Caubói, participante da nona edição, que teve sua vida ceifada em 2011 em um assassinato ainda sem solução. Deixou para trás sua esposa e quatro filhos.

Foto: TV Globo/Reprodução

 

A mesma edição também contou com a presença de Josy Oliveira, psicóloga e cantora, que veio a falecer em 2020 após complicações em uma cirurgia para tratar um aneurisma.

Edílson Buba, participante da quarta edição, também teve sua jornada finalizada prematuramente, vítima de um câncer no abdômen em 2006. O curitibano era conhecido por seu trabalho com dependentes químicos através de uma ONG que fundou.

Outro participante a nos deixar foi Norberto Carias dos Santos, carinhosamente chamado de Vô Nonô, que participou da nona edição e faleceu em 2017, vítima de câncer. Ele é lembrado por ser um dos participantes mais velhos a entrar na casa do BBB.

Essas perdas, apesar de trágicas, lembram-nos do elo humano inerente a um programa que, em sua essência, é uma experiência social em uma escala muito pública. A dor das perdas reafirma a realidade dos participantes do BBB como mais do que figuras televisivas, mas como indivíduos com histórias de vida, sonhos e desafios que se estendem para além das paredes da casa cenográfica.

Ao relembrarmos as histórias desses ex-participantes, estamos reconhecendo não apenas sua passagem pelo programa, mas, mais importante, seu legado e a marca que deixaram na vida daqueles que os acompanharam dentro e fora do programa.

Enquanto o BBB continua a criar novas histórias e momentos memoráveis a cada temporada, a memória daqueles que se foram permanece viva no coração dos telespectadores e fãs do programa. Cada um deles, à sua maneira, ajudou a moldar o que é o Big Brother Brasil hoje, e por isso, não serão esquecidos.

Destaques