Tragédia em Minas Gerais: jovem é sequestrada e morta por conta de dívida com tráfico

Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva, de 22 anos, encontrada em chamas na BR-040, teve sua vida ceifada em crime brutal associado a débitos com narcotraficantes.

Por Plox

20/02/2024 07h47 - Atualizado há 4 meses

Na noite de segunda-feira (19), um episódio chocante ocorreu na BR-040, em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte, quando um caminhoneiro avistou o corpo de uma jovem em chamas às margens da rodovia. A vítima, identificada como Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva, de apenas 22 anos, foi rapidamente socorrida, mas, infelizmente, sucumbiu aos ferimentos após ter 90% do corpo queimado. Além das queimaduras, Layze sofreu múltiplas facadas, evidenciando uma brutalidade que ultrapassa a compreensão.

 Layze Stephanie Gonzaga Ramalho da Silva teve o corpo queimado  Redes sociais/ reprodução

Circunstâncias do Crime

Layze foi sequestrada e mantida em cárcere privado desde o domingo de Carnaval, sob uma sombra de dívida e violência. Sua mãe revelou à polícia o envolvimento da filha com o tráfico de drogas, acumulando uma dívida significativa, estimada entre R$15 mil e R$30 mil. A situação se agravou com ameaças de morte provenientes de um "tribunal do crime", caso a dívida não fosse quitada. Apesar dos esforços da família para arrecadar o montante exigido, o valor completo não foi alcançado, culminando em um desfecho trágico.

Investigação e Prisão dos Suspeitos

A polícia agiu rapidamente, guiada por pistas fornecidas pela família, incluindo uma chave PIX relacionada ao pagamento da dívida. As diligências levaram à prisão de um homem e uma mulher em Belo Horizonte, ambos suspeitos de envolvimento no crime. A mulher, detida em um carro alugado, confirmou ser a proprietária da chave PIX utilizada pela família de Layze, enquanto o homem, encontrado com identidades falsas, não teve suas informações pessoais confirmadas pelas autoridades.

Desdobramentos e Conexões

Curiosamente, a família de Layze havia conhecido um dos suspeitos, apresentado por ela como namorado durante o Carnaval. Desde então, ambos desapareceram, até que investigações revelaram que a vítima e o suposto parceiro estiveram juntos em um motel, evidência de que Layze já estava sob ameaça. A Polícia Civil prossegue com as investigações, buscando esclarecer todas as circunstâncias deste ato horrendo e identificar outros possíveis envolvidos.

Destaques