Neymar pai financia fiança de Daniel Alves para liberdade provisória na Espanha

Ex-lateral condenado por agressão sexual tem liberação garantida após pagamento de fiança milionária, com suporte de Neymar pai.

Por Plox

20/03/2024 12h01 - Atualizado há 3 meses

O pai do astro do futebol Neymar se comprometeu a arcar com a fiança para assegurar a liberdade provisória de Daniel Alves, ex-jogador da Seleção Brasileira, atualmente enfrentando uma condenação por agressão sexual na Espanha. De acordo com "La Vanguardia", um jornal espanhol, a fiança foi estipulada em 1 milhão de euros (aproximadamente R$ 5,4 milhões) pelo Tribunal de Barcelona, como condição para a soltura de Alves. Além do valor, o ex-atleta terá seus passaportes retidos para prevenir qualquer tentativa de fuga.


Pai de Neymar ajudou Daniel AlvesReprodução

Contexto da Condenação e Suporte de Neymar

Daniel Alves foi condenado a quatro anos e meio de prisão após ser considerado culpado por estuprar uma jovem em uma boate de Barcelona em dezembro de 2022. Inés Guardiola, advogada de defesa, vem negociando a redução da pena, argumentando que Alves já cumpriu uma fração significativa da mesma. Neymar e seu pai anteriormente já haviam contribuído com 150 mil euros para o pagamento de uma indenização à vítima, visando atenuar a sentença do ex-jogador.

Detalhes do Incidente e Julgamento

Detido desde janeiro do ano passado, Alves passou por julgamento em fevereiro deste ano, resultando na condenação. A justiça espanhola, ao conceder a liberdade provisória, também definiu que, após cumprir a pena, o ex-lateral estaria sob liberdade supervisionada por cinco anos e proibido de aproximar-se da vítima por nove anos, além de arcar com a indenização mencionada e as custas processuais.

A sentença foi baseada no relato da vítima, afirmando que Alves a atacou de forma violenta e sem seu consentimento, fato corroborado pela justiça que identificou ausência de consentimento e uso de força na ação. Durante o julgamento, Daniel Alves, emocionado, negou as acusações, alegando ter consumido bebida alcoólica e negando o estupro.

Destaques