Adriana Ancelmo é impedida de visitar Sérgio Cabral com carteira de advogada

20/05/2019 11:18

Publicidade

Em fevereiro deste ano, Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, teria utilizado sua carteira de advogada da Ordem de Advogados do Brasil (OAB) para se encontrar com o político na cadeia, por duas vezes. A estratégia seria para evitar que ao chegar à portaria principal, ela não precisasse passar por revista de segurança.

Adriana Ancelmo

Foto: Agência Brasil

O procedimento não é necessário aos advogados que adentram a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu 8), na zona oeste do Rio de Janeiro. Apresentando a carteira da Ordem, além de não precisarem seguir horário e dias de visitas, defensores podem ainda entrar em veículo na unidade, sendo revistados de maneira diferente dos demais.

O setor de Inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) identificou a tática da ex-primeira-dama fluminense através de um documento, que foi enviado à Vara de Execuções Penais (VEP). Ela foi impedida de visitar Cabral fazendo uso da carteira de advogada.

Major Marcelo de Castro Corbage, Superintendente Geral de Inteligência da Secretaria, afirmou que a manobra teria sido realizada frequentemente “para que Adriana não passe pelos procedimentos de segurança do Complexo de Gericinó, os quais são realizados na portaria principal, violando os protocolos de entrada a que todos os visitantes seriam submetidos”, informou.

Defesa


Desmentindo as afirmações do superintendente, a defesa de Adriana, por meio do advogado Alexandre Lopes, alegou que as informações da Seap têm caráter difamatório e disse ainda que a cliente não “precisa usar subterfúgios para visitar o marido, já que possui, como esposa, o direito”, e não será impedida de ir até Bangu 8.  
Investigações apontaram que Adriana estava envolvida nos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa, o que lhe fez ser condenada em 2017 a 18 anos e 3 meses de prisão, porém, ela cumpre prisão domiciliar. 

Atualizada às 20h33



Publicidade