Funerária retira órgãos de idoso sem consentimento da família em MG

A denúncia indicava ainda que os órgãos estavam enterrados em um saco plástico na cova onde a vítima seria sepultada. Se

Por Plox

20/05/2024 14h29 - Atualizado há 28 dias

Em Bom Jesus do Galho, no Vale do Rio Doce, um serviço funerário está sendo acusado de remover os órgãos de um idoso de 86 anos sem o consentimento da família. O episódio ocorreu na zona rural da cidade, e a Polícia Civil já está conduzindo investigações sobre o caso.

Segundo o Boletim de Ocorrências da Polícia Militar, um agente funerário de 51 anos admitiu ter realizado o procedimento. Ele declarou aos policiais que aprendeu a técnica em um curso em Belo Horizonte e que frequentemente recebe pedidos semelhantes da funerária São Gabriel.

Foto: Prefeitura de Bom Jesus do Galho/Reprodução

O caso teve início no último sábado, quando o idoso faleceu devido a uma insuficiência cardíaca. No domingo (19), às 15h, durante o velório que ocorria na residência do falecido, militares apareceram e levaram o corpo após uma denúncia anônima que alegava a ausência de órgãos no corpo que estava sendo velado.

A denúncia indicava ainda que os órgãos estavam enterrados em um saco plástico na cova onde a vítima seria sepultada. Segundo a denunciante, esse não seria o primeiro incidente envolvendo a funerária.

Após a remoção do corpo para o Instituto Médico Legal (IML), a retirada dos órgãos foi confirmada. Os militares também encontraram um saco plástico com os órgãos enterrado sob uma camada fina de terra na cova. A família, em declaração aos policiais, afirmou que não havia autorizado a retirada dos órgãos pela funerária.

O agente funerário foi detido e levado pela Polícia Civil, que prossegue com as investigações. A funerária São Gabriel foi contatada pela reportagem, mas ainda não forneceu uma resposta sobre as acusações.

 

 

 


 

Destaques