Homem que planejou atentado a bomba no Aeroporto de Brasília vai para o regime semiaberto

George Washington de Oliveira Sousa, condenado a 9 anos e 8 meses de prisão, ganha direito ao semiaberto e trabalho externo

Por Plox

20/05/2024 10h31 - Atualizado há 29 dias

George Washington de Oliveira Sousa, condenado a 9 anos e 8 meses de prisão por planejar um atentado a bomba no Aeroporto de Brasília, começou a cumprir sua pena em regime semiaberto no último sábado (18). A decisão, proferida pela juíza Francisca Danielle Mesquita, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), também permite que Sousa trabalhe externamente, mas sem direito a saídas temporárias nos fins de semana.

Foto: Senado Federal do Brasil

Detalhes do Caso

Sousa foi preso na noite de 24 de dezembro de 2022, após a descoberta de uma bomba sob um caminhão-tanque em frente ao aeroporto de Brasília. O explosivo foi encontrado pelo motorista do caminhão, que alertou a Polícia Militar. Peritos da PM desativaram o dispositivo, que falhou por um erro na montagem.

Arsenal em Apartamento Alugado

No momento da prisão, Sousa estava em um apartamento alugado na área nobre do Sudoeste, em Brasília. No local, a polícia encontrou um arsenal que incluía fuzil, espingardas, revólveres, munição e artefatos explosivos. Embora tivesse registro como Colecionador, Atirador Desportivo e Caçador (CAC), seus documentos estavam irregulares, impedindo-o de portar armas e explosivos.

Contexto e Motivações

Sousa, natural do Pará e gerente de um posto de combustíveis, viajou a Brasília para participar de manifestações contra a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Apoiante declarado de Jair Bolsonaro (PL), ele pretendia provocar um caos social que justificasse uma intervenção militar, impedindo a posse de Lula em 1º de janeiro de 2023.

Envolvidos no Plano

O plano foi traçado em um acampamento bolsonarista próximo ao Quartel-General do Exército. Alan Diego dos Santos Rodrigues, que recebeu a bomba de Sousa, e o blogueiro bolsonarista Wellington Macedo de Souza também estavam envolvidos. Macedo foi preso em setembro de 2023, após ser localizado no Paraguai. Anteriormente, ele usava tornozeleira eletrônica devido a acusações de incitação a ataques contra os Três Poderes.

Histórico de Wellington Macedo

Wellington Macedo, cearense de Sobral e ex-assessor do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, era monitorado pela Polícia Federal antes do atentado. Ele participou de manifestações violentas em setembro de 2021 e foi identificado como um dos organizadores de atos antidemocráticos.

Conclusão

A decisão de colocar George Washington de Oliveira Sousa no regime semiaberto e permitir seu trabalho externo marca um novo capítulo em um dos casos mais impactantes relacionados aos protestos contra a eleição de 2022. Com a vigilância contínua das autoridades, o desenrolar dos eventos será observado de perto pela sociedade e pela justiça.

Destaques