Cirurgias eletivas beneficiam mais de 600 moradores de Ipatinga

20/06/2019 11:12

Até o fim de julho, o governo municipal espera realizar nos demais pacientes a etapa operatória

Publicidade

A conquista de uma cirurgia eletiva pelo SUS, como de varizes, hérnia e ligamento de joelho, para muitos moradores de Ipatinga já é uma realidade que vem resultando em mais qualidade de vida e saúde. Com o objetivo de minimizar e até zerar em algumas especialidades a fila de espera, somente neste ano 623 munícipes já foram chamados pela Prefeitura para avaliação médica, a fim de realizarem cirurgias nas áreas de Otorrinolaringologia, Ortopedia, Urologia, Ginecologia, Cirurgias Geral e Vascular. Do total, 220 pacientes já foram operados e 70 já estão agendados para realizar sua cirurgia eletiva. Até o fim de julho, o governo municipal espera realizar nos demais pacientes a etapa operatória. 

Entre os beneficiados pela iniciativa está Sueli Rosa de Oliveira, moradora do bairro Nova Esperança. Com muita dificuldade de se alimentar devido a um problema na vesícula, os últimos quatro anos foram marcados pela constante perda de peso por só conseguir comer biscoito de água e sal e tomar chá. 

Ela relata: “Eu já não sabia o que era comer arroz, feijão e carne, porque com a dor causada na vesícula, sempre sentia muita ânsia de vômito depois que me alimentava”.

(Foto: divulgação)

(Foto: divulgação)

Ainda segundo Sueli, ela já nem acreditava mais que os profissionais da Saúde iriam chamá-la porque, “há anos, quando fui convocada, eu também estava grávida e os médicos não podiam me operar. No último mês, a Secretaria Municipal de Saúde me ligou, dizendo que a cirurgia de vesícula estava mantida, e agora já estou operada. Fui à consulta pós-operação e minha saúde está muito boa. Aos poucos estou trocando o biscoito por uma comida mais saudável”, conta. 

A secretária municipal de Saúde, Érica Dias, explica que a iniciativa da Administração visa reduzir a fila de espera e atender a demanda crescente por procedimentos especializados. 

“Embora não se caracterizem como urgência, as cirurgias eletivas são fundamentais para dar mais autonomia e melhorar a qualidade de vida dos pacientes”, afirma. “A proposta da Administração é ampliar a execução deste serviço, inclusive zerando a demanda em algumas especialidades”, adianta a secretária de Saúde de Ipatinga.

Sueli Rosa realizou no último mês a tão sonhada cirurgia de vesícula. Ao lado da família comemora poder voltar, aos poucos, a se alimentar melhor. (Foto: divulgação)Sueli Rosa realizou no último mês a tão sonhada cirurgia de vesícula. Ao lado da família comemora poder voltar, aos poucos, a se alimentar melhor. (Foto: divulgação)

Outro avanço é que os procedimentos são feitos no município por meio de um convênio com o Hospital Márcio Cunha, evitando que os pacientes tenham que se deslocar para a capital ou outras cidades que dispõem de centros especializados. Os exames e consultas pré e pós-operatórios também são realizados no município.

Cirurgia de Catarata
Em paralelo às cirurgias eletivas, o governo municipal vem realizando também procedimentos cirúrgicos de catarata. A Prefeitura de Ipatinga espera que, ainda este ano, sejam feitas 600 cirurgias de catarata, além da inclusão de mais 350 pacientes para o tratamento de glaucoma e a oferta de 3.000 consultas oftalmológicas. 



Publicidade