"Especialistas diferenciam sintomas da conjuntivite e da nova variante Arcturus"

A identificação precoce, o tratamento adequado e a prevenção são fundamentais para o controle dessa nova variante do vírus.

Por Plox

20/06/2023 11h57 - Atualizado há 11 meses

A partir de abril de 2023, o Brasil começou a identificar a circulação de uma nova variante do coronavírus, a Arcturus. O diferencial dessa cepa, que tem preocupado os médicos oftalmologistas, é a ocorrência de conjuntivite como um de seus principais sintomas, especialmente entre crianças. Além disso, o período de inverno tem intensificado a disseminação do vírus, pois as baixas temperaturas tendem a manter as pessoas em ambientes fechados e mais aglomerados, criando condições favoráveis para a propagação da doença.

 

(crédito: Reprodução Freepik)

Pedro Antonio Nogueira Filho, oftalmologista do H.Olhos/Rede Vision One, elucidou os sinais que caracterizam a conjuntivite. De acordo com ele, são frequentes o inchaço da pálpebra, excesso de lágrimas e vermelhidão nos olhos. Outros sintomas comuns incluem desconforto ocular, ardência, borramento visual, lacrimejamento constante e coceira. Há casos em que os pacientes podem sentir dor próximo ao ouvido, o que pode estar associado a um inchaço local.

Por outro lado, os sintomas da variante Arcturus, além da conjuntivite, são similares aos da gripe comum, não demonstrando até o momento diferenças significativas de gravidade em comparação com outras variantes de ômicron. Febre, tosse, secreção nasal, dores no corpo e fadiga são algumas das características clínicas comuns às outras variantes.

Durante o inverno, as unidades do H.Olhos em São Paulo observaram um aumento sazonal nos casos de conjuntivite. Segundo Nogueira Filho, essa elevação está principalmente associada a períodos de baixas e altas temperaturas, quando as pessoas tendem a se aglomerar mais. "A frequência de casos gripais de origem viral é maior no inverno, o que consequentemente eleva as ocorrências de conjuntivite", relata o médico.

Diante desses sintomas, é crucial buscar a avaliação de um oftalmologista para receber orientações e tratamento adequado. "A prevenção envolve higiene constante das mãos com água e sabão ou álcool em gel, evitar tocar nos olhos e evitar locais com muita aglomeração, especialmente se apresentar sintomas gripais, respiratórios ou de conjuntivite", aconselha o especialista.

Existem sinais e sintomas específicos que podem indicar a ocorrência de conjuntivite, mas estes podem variar de pessoa para pessoa. Alguns deles incluem coceira, inchaço das pálpebras, pálpebras coladas pela manhã, lacrimejamento, sensação de areia nos olhos, alta sensibilidade à luz, olhos vermelhos, dor nos olhos, visão embaçada e gânglios dolorosos na região do pescoço. Outro sintoma comum é uma secreção aquosa excessiva, semelhante a lágrimas. Normalmente, a conjuntivite começa em um dos olhos, mas pode ser rapidamente transmitida para o outro.

Portanto, diante da disseminação da variante Arcturus do Covid-19 e a sua ligação com a conjuntivite, é vital que as pessoas estejam atentas a esses sintomas. A identificação precoce, o tratamento adequado e a prevenção são fundamentais para o controle dessa nova variante do vírus.

Destaques