PIB de Minas Gerais cresce 3,2% em comparação anual, mas recua no 3º trimestre de 2023

Relatório da Fundação João Pinheiro Destaca Desempenho Misto dos Setores Econômicos do Estado

Por Plox

20/12/2023 17h38 - Atualizado há 4 meses

Minas Gerais registrou um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 257,8 bilhões no terceiro trimestre de 2023, marcando um aumento de 3,2% em relação ao mesmo período de 2022, quando o valor foi de R$ 249,9 bilhões. Apesar desse crescimento anual, o estado enfrentou um declínio de 1,4% em relação ao segundo trimestre de 2023. Estes dados foram divulgados pela Fundação João Pinheiro (FJP) nesta quarta-feira.

 

Thiago Almeida, pesquisador da Coordenação de Contas Regionais da FJP, explica que a retração observada no terceiro trimestre é principalmente devido ao desempenho negativo dos subsetores industriais, com uma queda de 1,7%. Em contrapartida, o setor agropecuário e as atividades de serviços registraram crescimentos de 0,3% e 0,6%, respectivamente, no mesmo período.

 

O valor total do PIB inclui o valor adicionado das atividades de agricultura, pecuária, produção florestal, indústrias e serviços, além dos impostos indiretos sobre produtos líquidos de subsídios. Nos últimos 12 meses, de outubro de 2022 a setembro de 2023, o PIB de Minas Gerais expandiu 2,6% em comparação com o período anterior de 12 meses.

 

No setor agropecuário, apesar da redução no peso da soja e do milho, houve compensação com a entrada da cana-de-açúcar e aumentos significativos nas safras de feijão, batata-inglesa e sorgo. Por outro lado, a pecuária viu uma redução aproximada de 1,5% no total de leite cru adquirido localmente. A demanda na produção florestal, especialmente para a fabricação de produtos de papel e celulose, diminuiu, enquanto a siderurgia manteve-se estável.

 

As indústrias extrativas de Minas Gerais enfrentaram uma redução em sua produção tanto em relação ao trimestre anterior quanto ao mesmo período de 2022, com uma queda particularmente notável na produção de minério de ferro. No entanto, houve expansão na fabricação de alimentos, bebidas, fumo, produtos de minerais não-metálicos, metalurgia e produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos. A fabricação de produtos de papel, derivados de petróleo, produtos químicos, máquinas e equipamentos e veículos automotores, porém, registrou retração.

 

Nas atividades de geração e distribuição de eletricidade, gás, água e saneamento, houve uma expansão de 0,5% em comparação com o trimestre anterior e de 2,4% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Thiago Almeida observa que, apesar de um bom ano para o setor de geração de eletricidade, uma leve queda no volume útil dos reservatórios impactou os resultados do 3º trimestre.

 

O comércio de hipermercados, móveis e eletrodomésticos, farmacêuticos, equipamentos e materiais de informática e comunicação, de veículos e de material de construção experimentou expansão de vendas, superando a retração nos segmentos de vestuário e combustíveis. Por fim, as atividades de serviços de informação e comunicação em Minas Gerais destacaram-se com expansão tanto na comparação trimestral quanto na anual. Em contrapartida, os serviços prestados às famílias e os serviços profissionais, técnicos e administrativos sofreram contração no nível de atividade.

 

 


 

Destaques