Mercosul eleva preço do arroz em 30% e Brasil suspende leilão

Brasil cancela leilão para compra de arroz no Mercosul após alta nos preços

Por Plox

21/05/2024 12h30 - Atualizado há 28 dias

O Brasil cancelou um leilão de compra de arroz do Mercosul previsto para terça-feira (21) após uma elevação de até 30% no preço do cereal pelos países do bloco, anunciou o ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, na segunda-feira (20). A decisão foi tomada para conter a alta de preços no mercado interno, impactado pela tragédia no Rio Grande do Sul, responsável por 70% da produção nacional.

AGÊNCIA BRASIL

Medidas do Governo

Em resposta à alta de preços, o governo brasileiro zerou o imposto de importação do arroz para países fora do Mercosul. “Nós demos uma demonstração ao Mercosul de que, se for querer especular, nós buscamos de outro lugar”, declarou Fávaro ao portal G1.

Inicialmente, o leilão previa a compra de 100 mil toneladas de arroz, mas com o aumento nos preços, a quantidade seria reduzida para 70 mil toneladas. "Certamente, eles vão voltar para a realidade porque não é justo", afirmou o ministro.

Reunião de Emergência

Após a confirmação da especulação de preços, Fávaro realizou uma reunião de emergência na quinta-feira (16) com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Casa Civil, Rui Costa. A suspensão do leilão e a isenção do imposto foram decisões tomadas pelo presidente, segundo Fávaro.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) organizaria o leilão, mas até o momento não há nova data prevista para a sua realização. O Mercosul, composto por Paraguai, Uruguai e Argentina, é a principal fonte externa de arroz para o Brasil.

Alternativas de Importação

Para ampliar a oferta interna e evitar aumentos de preços ao consumidor, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou na segunda-feira, durante reunião extraordinária, a redução a zero do imposto de importação de três tipos de arroz. A medida visa garantir a segurança alimentar no país, conforme declarou o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin. A redução das tarifas das NCMs 1006.10.92, 1006.20.20 e 1006.30.21 vale até 31 de dezembro, com monitoramento contínuo da Secretaria de Comércio Exterior do MDIC (Secex).

Impacto no Rio Grande do Sul

As fortes chuvas no Rio Grande do Sul, que afetaram 464 dos 497 municípios do estado, resultaram em mais de uma centena de mortes e alagaram ao menos 303 mil residências. A tragédia também interrompeu o fornecimento de água e energia em centenas de milhares de imóveis, conforme dados do IBGE e da UFRGS.

Destaques