Novo medicamento promete perda de peso superior a Ozempic e Wegovy; saiba mais

Novo Nordisk aposta na amicretina como futuro líder no tratamento da obesidade

Por Plox

21/05/2024 17h22 - Atualizado há 22 dias

Durante um encontro virtual com a imprensa nesta terça-feira (21/5), Lars Fruergaard Jørgensen, CEO da Novo Nordisk, anunciou que a amicretina é uma das principais apostas da farmacêutica para o futuro. Após o sucesso mundial dos medicamentos Ozempic e Wegovy, que utilizam a semaglutida como princípio ativo e ganharam fama por promoverem rápida perda de peso, a empresa agora mira novos horizontes com a amicretina. Os primeiros resultados dessa nova molécula, ainda sem nome comercial, mostraram uma perda de peso de 13% em apenas 12 semanas, superando os resultados dos atuais medicamentos. “A amicretina vai se tornar o tratamento líder entre os medicamentos para obesidade no mundo”, afirmou Jørgensen.

Foto: Reprodução/Pixabay

A amicretina diferencia-se por sua ação dupla: além de inibir a fome ao simular o hormônio GLP-1, ela imita a amilina, um hormônio que controla o açúcar no sangue e melhora o metabolismo energético. Essa combinação torna a droga uma promissora solução para o tratamento da obesidade.

Avanços na pesquisa e desenvolvimento

Jørgensen também celebrou os resultados pré-clínicos de uma nova molécula desenvolvida pela Inversago, empresa adquirida pela Novo Nordisk no final de 2023. Esta molécula atua bloqueando os receptores de canabinoide-1 (CB1) no cérebro, responsáveis pelo aumento do apetite.

Desafios e expansão da produção de Ozempic e Wegovy

O CEO reconheceu a dificuldade em atender à crescente demanda pelos medicamentos Ozempic e Wegovy. “Estamos trabalhando para chegar a quem precisa, mas a quantidade de interessados nos tratamentos tem subido de maneira incrível”, declarou Jørgensen. Ele revelou que a empresa investiu cerca de 20 bilhões de dólares na expansão e aquisição de novas fábricas, planejadas para operar com capacidade total entre 2025 e 2029, localizadas na Europa e nos Estados Unidos.

Para garantir que os pacientes possam continuar seus tratamentos, a Novo Nordisk tem mantido um controle rigoroso na expansão do mercado. Devido a dificuldades de produção, o Wegovy, por exemplo, ainda não chegou ao Brasil, apesar de ter sido aprovado em janeiro de 2023. O medicamento só deve ser lançado no país no segundo semestre de 2024.

 

 

 


 

Destaques