Polícia Federal desencadeia operação contra PMs e CACs envolvidos em venda iegal de armas

Ação resulta em 18 prisões e apreensões significativas em três estados do Nordeste

Por Plox

21/05/2024 09h18 - Atualizado há 24 dias

Em uma ampla operação realizada na manhã desta terça-feira (21), a Polícia Federal, em conjunto com as polícias civis da Bahia e Pernambuco e o Exército Brasileiro, desmantelou uma organização criminosa composta por policiais militares, CACs (Colecionadores, Atiradores e Caçadores) e lojistas. O grupo é suspeito de desviar armas e munições para facções criminosas no Nordeste do Brasil.

 

Foto: Polícia Federal/Divulgação

Mandados e Apreensões

A operação, denominada “Fogo Amigo”, cumpriu 20 mandados de prisão preventiva e 33 de busca e apreensão nas regiões da Bahia, Pernambuco e Alagoas. Além disso, foi ordenado o sequestro de bens e o bloqueio de valores que somam até R$ 10 milhões dos suspeitos, e a suspensão das atividades econômicas de três lojas de armas que operavam de forma irregular.

Durante a operação, o Exército também realizou inspeções em outras lojas de armas e munições nas cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE).

Crimes e Punições

Os investigados enfrentarão acusações de organização criminosa, comercialização ilegal de armas e munições, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, crimes cujas penas combinadas podem alcançar até 35 anos de prisão. A Polícia Federal prossegue com as investigações para identificar outros membros da organização e compreender a extensão total de suas atividades ilícitas.

Operação Contra Novo Cangaço

Paralelamente, a PF e a Polícia Civil de São Paulo lançaram uma operação focada em uma quadrilha que pratica roubos nas modalidades “domínio de cidade” e “novo cangaço”. As investigações apontaram que essas ações criminosas são financiadas por traficantes de drogas que também lavam dinheiro. CACs são identificados como os principais fornecedores de armas para a quadrilha, facilitados por permissões legais para aquisição de armamentos.

Desdobramentos da Operação

Na ação deflagrada em São Paulo, foram cumpridos 13 mandados de prisão temporária e 24 de busca e apreensão em diversos municípios paulistas e também em Xique-Xique (BA), Timon (MA) e Corrente (PI). Medidas para descapitalizar a organização criminosa foram adotadas, incluindo o bloqueio de contas bancárias e o sequestro de bens até o limite de R$ 4 milhões.

As operações ressaltam a complexidade e a gravidade das atividades criminosas envolvendo membros das forças de segurança pública e CACs, e a determinação das autoridades em desarticular tais esquemas para garantir a segurança pública.

Destaques