Arena MRV em foco: Câmara de BH aprova projeto para antecipar inauguração

Projeto de lei provoca debate acirrado entre legislativo e executivo

Por Plox

21/06/2023 12h30 - Atualizado há 11 meses

Na data de hoje, a Câmara Municipal de Belo Horizonte aprovou em primeira instância, o projeto de lei que possibilita a liberação do funcionamento da Arena MRV sem a necessidade de cumprimento prévio das contrapartidas determinadas pelo poder público. A votação resultou em 36 votos a favor contra dois votos contrários. A prefeitura de Belo Horizonte, representada por seu líder de governo Bruno Miranda (PDT), liberou os vereadores da base para votarem a favor da proposta.

Foto: Marcelo Augusto / Plox / arquivo

 

Possível emenda ao projeto de lei

No entanto, uma reviravolta pode ocorrer. Bruno Miranda informou que apresentará uma emenda ao projeto de lei em questão, a fim de realizar adequações no texto. O parlamentar disse: “Vamos apresentar uma emenda, vamos discutir o texto nas comissões e dar tempo para discutir com a área técnica, porque o projeto pode ser aprovado aqui e ser vetado depois. Vamos construir caminho possível para a proposta avançar”.

Temores da prefeitura de Belo Horizonte

A emenda proposta por Miranda, entretanto, surge em um contexto de receio da prefeitura da cidade. Nos bastidores, há a percepção de que a proposta seja inconstitucional, considerando que o Legislativo não deveria ter a competência para legislar sobre um assunto já discutido. Há também o medo de que a aprovação do projeto deixe o município vulnerável a impactos urbanos e ambientais futuros não compensados.

Em meio a polêmicas, autor do projeto de lei faz críticas

O vereador César Gordin (Solidariedade), autor da proposta, mostrou-se contrário à emenda. Gordin teme que as mudanças sugeridas pela prefeitura atrasem a tramitação do projeto. O parlamentar defendeu que, sem a emenda, a votação do projeto em segundo turno já ocorreria nesta sexta-feira (23).

Visão do autor do projeto sobre o funcionamento da Arena MRV

Gordin, contudo, destacou a importância do projeto para a economia da cidade. Segundo ele, "adiantar o funcionamento vai ajudar a geração de renda na cidade".

Presidente da Câmara critica intervenção da prefeitura

O presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, Gabriel Azevedo, expressou seu descontentamento em relação à emenda apresentada pela prefeitura. De maneira indireta, Azevedo insinuou que o ex-prefeito Alexandre Kalil teria participado na construção da emenda, através de um encontro com Fuad Noman na última terça-feira (20). Mesmo sem mencionar explicitamente o nome de Kalil, o presidente o identificou através de uma referência ao seu passado compartilhado na diretoria do Atlético.

Próximos passos na Câmara

A despeito da emenda, Azevedo afirmou que a Comissão de Legislação e Justiça (CLJ) pretende convocar uma reunião extraordinária. O objetivo é levar a proposta para votação em plenário e em segundo turno já na próxima sexta-feira (23).

Emenda alinhada com autor do projeto, diz líder de governo

Em meio a essas controvérsias, o líder de governo Bruno Miranda apresentou sua defesa. Ele afirmou que a emenda proposta foi alinhada com César Gordin, autor do projeto e ex-presidente da Galoucura.

Futuro incerto para Arena MRV

Diante dos eventos recentes, o futuro do projeto de lei que pretende liberar o funcionamento da Arena MRV antes do cumprimento das contrapartidas previstas pelo poder público se mostra incerto. As discussões e embates na Câmara Municipal de Belo Horizonte seguem em aberto e prometem novos desdobramentos.

Destaques