Golpes virtuais em alta: Minas Gerais é vice-líder em ocorrências no Brasil

O avanço da tecnologia trouxe inúmeras facilidades, mas também abriu portas para criminosos especializados em golpes digitais

Por Plox

21/07/2023 07h34 - Atualizado há 11 meses

 

Na última quinta-feira (20), um relatório do Fórum Nacional de Segurança Pública trouxe à tona dados preocupantes sobre o cenário de crimes digitais no Brasil. Segundo o estudo, Minas Gerais apresentou um crescimento expressivo de 39,7% nas ocorrências de estelionato virtual entre os anos de 2021 e 2022. Para se ter uma ideia da magnitude deste problema, mais de 35 mil mineiros foram enganados por golpistas na internet ou via aplicativos como o Whatsapp no ano passado. Esse número supera os mais de 25 mil registros do ano anterior.

O panorama nacional também não é animador. Em 2022, o Brasil contabilizou 200 mil vítimas de golpes virtuais, um salto de 65% em relação a 2021, que teve pouco mais de 120 mil casos.

Entretanto, nem todos os estados colaboraram com a pesquisa. Seis unidades federativas, incluindo São Paulo, decidiram não compartilhar seus dados sobre criminalidade virtual.

 

 

 

Foto: Pixabay/Reprodução

Estratégias e conselhos para evitar ser vítima de golpes digitais

O avanço da tecnologia trouxe inúmeras facilidades, mas também abriu portas para criminosos especializados em golpes digitais. "A internet e a tecnologia permitem que golpistas apliquem trapaças de formas mais sofisticadas, abrangendo uma vasta gama de táticas, desde compras online fraudulentas até invasão de contas em redes sociais", afirma Tiago Rocha, advogado renomado em Direito Digital e Proteção de Dados.

Rocha também destaca que muitas vítimas caem em truques por falta de conhecimento em segurança digital. Ele ressalta que "os usuários precisam estar cientes dos riscos e empregar medidas de segurança, como a autenticação em duas etapas e atualizações frequentes de sistemas. Uma colaboração coletiva entre empresas, governos e cidadãos é crucial para estabelecer mecanismos robustos de prevenção e resposta a esses crimes".

 

Em paralelo aos crimes virtuais

Os crimes de estelionato na sua forma mais tradicional, infelizmente, também apresentaram crescimento em Minas Gerais. Em 2022, foram 130.755 casos, enquanto 2021 teve 105.476 ocorrências. Esse aumento de 23,5% posicionou o estado mineiro em terceiro lugar no ranking nacional, sendo precedido por São Paulo e Paraná.

 

Os estados mais afetados

Os cinco estados líderes em ocorrências de estelionato virtual são:

  • Santa Catarina: 64.230
  • Minas Gerais: 35.749
  • Distrito Federal: 15.580
  • Espírito Santo: 15.277
  • Pernambuco: 14.060

Enquanto os estados com mais registros de estelionato tradicional são:

  • São Paulo: 638.629
  • Paraná: 134.154
  • Minas Gerais: 130.755
  • Rio de Janeiro: 123.841
  • Santa Catarina: 95.100
     
Destaques