Primo de sequestrador morto diz: "Poderiam estar chorando 39 famílias de trabalhadores"

21/08/2019 07:59

Alexandre da Silva pediu desculpas aos reféns e suas famílias e disse que o primo sofria de depressão

Publicidade

Alexandre da Silva, primo do sequestrador que fez 39 reféns em um ônibus na manhã dessa terça-feira, 20 de agosto, deu depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo.

Alexandre afirmou que prefere que sua família chore a morte do rapaz, do que as 39 famílias das vítimas que ficaram em poder de Willian Augusto da Silva, 20 anos, que foi baleado por um atirador de elite do Batalhão de Operações Especiais (Bope). "Graças a Deus quem está chorando hoje é a minha família. Poderiam estar chorando 39 famílias de trabalhadores como eu, como o pai  dele", disse Alexandre, que foi à ponte pedir desculpas aos reféns, ainda pela manhã, dizendo que o primo tinha depressão, passava tempos na internet e se isolava.

Alexandre da Silva disse que Willian, seu primo, era "ótima pessoa, ótimo filho e sobrinho" - Gilvan de Souza / Agencia O Dia

Alexandre da Silva prestou depoimento e pediu desculpas aos passageiros e famílias-Foto: Divulgação

O ônibus da empresa Galo Branco foi sequestrado por Willian por volta das 5h30 da manhã de ontem na ponte Rio-Niterói, onde ficou por volta de quatro horas. Apesar de deixar 39 pessoas em estado de tensão dentro do coletivo, segundo Alexandre, o primo era "ótima pessoa, ótimo filho e sobrinho". Segundo a mãe do sequestrador, ele ajudava o pai que é padeiro, mas por conta de dores nas pernas teve que se afastar.

Durante o depoimento, Alexandre pediu desculpas a todas as famílias pelos momentos de terror vivenciados pelos reféns e disse que o primo precisou pagar pelos seus atos.

Atualizada: 9h19
 



Publicidade