Bolsa de valores reflete alteração nos preços dos combustíveis

Gasolina tem redução no preço, enquanto diesel sofre aumento; Petrobras comenta

Por Plox

21/10/2023 07h41 - Atualizado há 7 meses

A Petrobras, em anúncio recente, informou um corte de 4% no valor da gasolina, resultando em uma redução de R$ 0,12 por litro. Esse ajuste coloca o preço médio de venda da gasolina em R$ 2,81 para as distribuidoras. Por outro lado, o diesel teve um aumento de R$ 0,25 por litro, alterando seu preço de R$ 3,80 para R$ 4,05, um aumento percentual de 6,6%.

Essas mudanças influenciam o preço médio dos combustíveis ao consumidor. Se a variação for completamente repassada ao preço final, o diesel pode sofrer um acréscimo, passando de R$ 6,05 para R$ 6,30 por litro. Em contrapartida, o preço da gasolina pode ser reduzido em 2,08%, alterando de R$ 5,76 para R$ 5,64 por litro, segundo estimativas baseadas em dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Petrobras esclarece
Jean Paul Prates, presidente da Petrobras, pontuou que o preço final dos produtos, como a gasolina e o diesel, não é determinado unicamente pela empresa. "Sempre é bom lembrar que o preço final dos produtos não é definido pela Petrobras", disse ele, mencionando também o caso do GLP (gás de cozinha). O preço médio ao consumidor do botijão de 13 kg ultrapassou R$ 100, enquanto nas refinarias o preço se mantém em média R$ 31,66.

Prates defendeu a estratégia comercial adotada pela Petrobras, destacando a importância de manter a empresa competitiva e de não transferir a volatilidade dos mercados internacionais ao consumidor. Ele ressaltou que, mesmo com o valor do brent (referência no mercado internacional) mais alto que no ano anterior, os preços dos combustíveis no Brasil têm mostrado tendência de queda em 2023.

Repercussão anterior
A Petrobras havia feito um ajuste nos preços em agosto. Naquela ocasião, a gasolina sofreu um aumento de R$ 0,41 e o diesel, R$ 0,78. Esta foi a primeira alteração após a extinção da política de paridade internacional dos combustíveis, implementada em maio.

Destaques